Envelhecer é… “lutar todos os dias para manter os seus sinais, as suas vontades”

Por Maya Santana

Teuda Bara, 79, trabalhou com os grandes nomes da dramaturgia nacional, como Zé Celso Martinez

Embora nunca tenha frequentado uma escola de teatro, Teuda Bara, atriz, 79, é conhecida nacionalmente pelo vigor e autenticidade da sua interpretação. A arte de atuar está nas suas veias, o que torna essa mineira, com dois filhos e uma neta, “uma força da natureza”, como define a cineasta Elza Cataldo, com quem Teuda trabalhou nos filmes “Vinho de Rosas” e, mais recentemente, “As órfãs da Rainha”, ainda em fase de finalização. Lendária fundadora do Galpão, grupo de teatro dos mais bem sucedidos do país, a atriz também tem no currículo a fantástica participação no espetáculo K.Á., do Cirque Du Soleil (Canadá). São muitos os sucessos dessa veterana. Do envelhecer, Teuda reclama, principalmente, das dores que surgem aqui e ali. Mas mantém o bom humor e, a caminho dos 80, está sempre gargalhando. Como nesse vídeo.

Veja:

Você não gostaria de participar do Envelhecer é…? Então, mande para o 50emais o seu depoimento sobre como está vendo o seu próprio envelhecimento. Envie para [email protected] um vídeo de até dois minutos e meio e uma foto sua. Teremos grande satisfação em postá-lo neste espaço.

Veja também:

Envelhecer é… ‘ainda ter planos e sonhos. Minha vida se tornou melhor com a idade’

Envelhecer é.. ‘é cultivar a menina que há em mim. Isso me ajuda a envelhecer bem’

Envelhecer é… ” a gente ir mudando a forma de fazer as coisas”

Envelhecer é… “um processo meio doloroso. Para mim, tem sido muito difícil”

Envelhecer é… “para mim, está sendo a colheita da minha semeadura até aqui”

Envelhecer é… “saber que as dificuldades são contornáveis e que tudo passa”

Envelhecer é… transformar as vivências desde o dia em que se nasce em sabedoria

Envelhecer é… ter pressa para escrever a minha história com o meu próprio punho

Envelhecer é… ‘buscar ser dona do meu tempo. Fazer o que quiser, a hora que quiser’

Envelhecer é… ‘conviver com a insônia e poder ler os livros guardados para depois’

Envelhecer é… “uma m…, gente. Quero ver quem me prova o contrário”

Envelhecer é… ” se conectar mais com você mesma, com o seu coração”

Envelhecer é… ‘Criar a sua qualidade de vida através do auto-conhecimento’

Envelhecer é… ‘perceber a transformação da alma no processo de amadurecimento’

Envelhecer é…”Dar graças ao universo por me ajudar a ter experiências tão incríveis”

Envelhecer é… “Não querer trocar os meus 63 anos pelos 20”

Envelhecer é… o momento em que a vida devolve você para você mesma

Envelhecer é… “É libertação. Faço exatamente o que quero”

Envelhecer é… “olhar para trás e perceber o quanto você ganhou. É renascer”

Envelhecer é… “a cada ano receber uma nova idade, uma novidade”

Envelhecer é… investir em você mesma e querer chegar lá na frente com sabedoria

Envelhecer é…”Saber que idade não é coisa ruim. É bom ser velha”

Envelhecer é… Sacar a nossa própria desimportância e,por isso, ficar mais solto

Envelhecer é…Verbo transitivo, é verbo transitório, é se libertar

Envelhecer é… viver mais, trabalhar e não se aposentar nunca da vida

Envelhecer é…Se motivar, se amar e, claro, tem a ver com movimento

Envelhecer é… conviver com os ruídos, cheiros e temperos da vida

Envelhecer é… viver em movimento, para exercitar o corpo e a mente

Irene Ziviani: Envelhecer é…lembrar sempre que cada idade tem a sua juventude

Patrícia Resende: Envelhecer é… chegar ao cume da vida, de onde se vê tudo de cima

Cida Falabella: Envelhecer é… cebelos brancos, rugas, sobrepeso e muita liberdade

O meu dia deveria ter 36 horas para fazer tudo que gostaria

Sandra Ribeiro e Silva Câmara: Envelhecer não significa perder a cor. Envelhecer pode ser colorido

Ana Helena Gomes: Viver é perder. Viver é ganhar. Viver é equilibrar os dois

Pedro Bial: Hoje, tenho uma visão mais clara do que a vida tem de valor

Mirian Chystus: Chegando aos 70, estou mais tranquila. E todo dia eu agradeço a Deus por mais um dia

Maya Santana – Envelhecer é caminhar para dentro, num processo contínuo de autoconhecimento


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





2 Comentários

Rachel 24 de setembro de 2021 - 10:18

Teuda Bara. Incrível esta mulher. Ao ouvir o depoimento dela vejo a mesma figura agitada, inconformada, irreverente que conheci nos anos 70 (do século passado!), balançando o subsolo da FAFICH, na rua Carangola, onde ela fazia Sociologia e punha pra quebrar. É Teuda Bara como sempre, aos 20 ou aos 80. Viva, inteligente e participante, como nunca.
Um grande beijo pra você também, Teuda.

Responder
Ana Nunes 30 de julho de 2021 - 11:33

Adorei o relato da Teuda Bara, muito igual o meu pensamento a respeito do envelhecimento! É uma luta diária pra não se deixar abater com os problemas próprios da idade e conseguir seguir nossa jornada. Tem mais a ver com a cabeça de cada um mesmo. Há coisas que o corpinho tem mais dificuldades em fazer mas ao mesmo tempo ganhamos mais sabedoria ao encararmos os problemas e percebemos que viver é uma dádiva!

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais