Envelhecer não é fácil, mas pode ser prazeroso

Por Maya Santana

Jane Fonda, que completa 75 anos em dezembro, veio ao Brasil

Envelhecer não é fácil, mas pode ser prazeroso. É isso que a atriz Jane Fonda, de 74 anos, prega em seu discurso. Em São Paulo para participar do VII Fórum da Longevidade Bradesco Seguros, realizado nesta terça-feira (27) no Hotel Transamérica, ela conversou com a imprensa sobre seu novo livro O Melhor Momento – Aproveitando ao máximo toda a sua vida, a ser lançado oficialmente quarta (28) no mercado nacional.

Jane completará 75 anos em 21 de dezembro – dia em que se promete acabar o mundo -, e de longe aparenta ter a idade registrada em seus documentos. Excesso de plástica? Ela se defende: “Já fiz cirurgia plástica e não sou hipócrita, especialmente por escrever um livro sobre envelhecimento. Não posso negar que tenha feito cirurgia plástica. Entretanto, disse ao meu cirurgião para tirar as bolsas debaixo dos meus olhos e do meu pescoço. Pedi para não tirar minhas rugas dos olhos para não parecer ridícula e também não aplico aquelas injeções que te deixam com lábio de pato. Não quero ficar com cara de idiota, sabe como é? Gente, eu tenho namorado! Não quero deitar na cama e meu namorado falar que meu rosto não combina com meu corpo”.

A atriz veio ao Brasil lançar este livro

Por falar em cirurgia plástica, a atriz lembrou que as brasileiras são grandes adeptas das intervenções cirúrgicas. “Acho ótimo que estejamos vivendo um momento em que existem maneiras de você parecer com todo aquele frescor, sem exagero, e acho que tem uma tendência no Brasil ao exagero. O País é famoso pelo volume de mulheres que fazem cirurgias plásticas. Hollywood é assustador. Vou fazer compras em Beverly Hills e vejo uma mulher vindo na minha direção e digo: “tem uma mulher ali que acho que conheço, mas não tenho ideia de quem seja. Está tão diferente que eu nem reconheço”. Então você precisa ter aparência de quem você é”.

Foi difícil chegar à 3ª idade?
Nunca me preocupei em envelhecer, mas foi um choque. Quando cheguei aos 70 anos eu pensei “uau”. Estou mais feliz agora como nunca estive. Todo mundo na minha família é deprimido e aqui estou eu, com 70 anos. Não tenho depressão, me sinto tão bem… Escrevi o livro “O Melhor Momento – Aproveitando ao máximo toda a sua vida”, nunca tive medo de envelhecer, mas eu sei que muitas pessoas têm esse temor e eu não quero fazer um romance, dizer que envelhecer é uma coisa legal. Se você é pobre e tiver uma doença triste como o câncer, demência senil ou Alzheimer, tudo isso faz o envelhecimento muito dificil. Não quero minimizar as dificuldades de envelhecer. A maioria das pessoas depois dos 50 anos, inclusive as pessoas que estão doentes, se sentem melhor na 3ª idade. Já entrevistei dezenas de pessoas idosas que não têm medo de morrer. Quando você está longe da velhice é que fica apavorado, sabe? Então, nós, mais velhos, temos que ajudar vocês jovens a não se preocuparem tanto com isso (risos). Leia mais em www.estadao.com.br


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

lisa santana 28 de novembro de 2012 - 14:40

Sim, precisamos de pessoas que nos ensinem, de novo, a envelhecer feliz? Porque a velhice precisa ser chata, triste e dolorida? Depois dos 40, pelo menos, é preciso ter coragem para checar a vida todos os dias e ver o que se pode fazer para mudar. Gostaria de ficar bem velhinha e ter a alegria da minha mãe e do meu tio Antônio, que aos 90 e com a vida e a realidade batendo a porta consegue manter o senso de humor. Rir e fazer a gente rir junto. Quer melhor?

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais