fbpx

Esporte e boa alimentação fazem acima de 60 parecer mais jovens

Por Maya Santana

Carolina Abreu, 69, faz compras toda manhã para seu restaurante

Maya Santana, 50emais

Este artigo de Alexandre Sinato para o Uol prova o que todos nós já sabemos: quem faz exercício, pratica algum esporte e se alimenta de maneira saudável vive mais e melhor do que pessoas sedentárias, que dão pouca importância à alimentação. Muita gente, e esse artigo também, costuma dizer que quem tem 60 anos hoje e se cuida está com aparência de 40. Eu discordo. As pessoas com 60 anos ou mais, mesmo conservadas, não me parece ter menos idade. Uma ou outra, sim. O que elas são é mais bem dispostas, mais jovens de espírito, vestem-se mais livremente e estão menos ligadas no que os outros( e as outras) estão falando delas.

Leia:

Carolina Abreu tem 69 anos e todo dia, às 7h, já está fazendo compras. E não são compras para casa ou um passeio na feira. Do mercado de atacado, ela segue para a avenida Faria Lima, um dos maiores centros comerciais de São Paulo, e começa a preparar o almoço para seus clientes. Afinal, há oito anos, Carolina decidiu se tornar empreendedora. Hoje, gera empregos e cuida de um restaurante de comida saudável.

“Quando deixei de ser secretária, aos 54, nem cogitei ficar em casa. Comecei a pensar no que eu gostaria de fazer, o que me daria prazer, e decidi abrir o restaurante, pois gosto de cozinhar e de lidar com pessoas. Levei oito meses para achar o espaço e montar tudo. Hoje trabalho muito feliz, porque gosto do que faço”, conta ela.

Carolina é só mais um exemplo de quem prefere se manter ativo. Reflexo da revolução da longevidade que vivemos atualmente. Se em 1950 a expectativa de vida no Brasil era de 48 anos, hoje ela já supera os 75. E segue aumentando.

Norberto, contador, aos 71 corre três vezes por semana

Os 60 anos são os novos 40
A nova máxima se confirma a cada dia. Se antes o caminho natural ou o objetivo de vida era descansar ao se tornar sexagenário, hoje sobram disposição e saúde para tocar em frente. “Eu me aposentei em dezembro de 2015 [aos 66 anos] e em janeiro de 2016 já estava trabalhando em outra empresa. Acho que o trabalho é importante para o ser humano e te mantém ativo e útil”, relata Clayton Rocha, de 68 anos.

“Hoje minha vida é 65% do tempo viajando, pois sou responsável comercial na América Latina. Embora seja cansativo, é um prazer estar em lugares diferentes, conhecer gente e ter amigos em todas as partes do mundo”, complementa.

Esporte e longevidade
O esporte, inclusive, é um dos fatores que contribuem para quem quer chegar aos 60 anos esbanjando saúde. Clayton, por exemplo, jogou futebol até os 35 anos,quando participou de uma corrida e passou a dividir as paixões. Aos poucos, migrou só para a corrida. Resultado: percorreu o mundo para fazer 32 maratonas.

O contador Norberto, de 71 anos, é um caso parecido. Corre desde a década de 1970, disputou maratonas e mantém o esporte até hoje em sua rotina. “Joguei futebol até os 55 anos e corria todos os dias. Hoje corre três vezes por semana, faço musculação e pedalo entre 50 e 60 quilômetros aos domingos”, resume. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

1 + dezesseis =