fbpx

Esta é a receita de saúde de um ganhador do Nobel de Medicina

Por Maya Santana

Louis Ignarro é conhecido como o pai do Viagra

Louis Ignarro é conhecido como o pai do Viagra

Mariana Timóteo

O americano Louis Ignarro, 75 anos, sabe bem o que faz bem para o coração.  Ele é autor de uma série de estudos sobre o óxido nítrico, molécula  vasodilatadora, que lhe renderam tanto o Nobel de Medicina em 1998 quanto o  apelido de “Pai do Viagra”, já que as ações da molécula foram fundamentais no  desenvolvimento do medicamento. Em visita a São Paulo na semana passada, Ignarro  disse que 90% das doenças cardíacas ocorrem devido a maus hábitos e 10% à má  genética. Ou seja, é preciso agir, o que basicamente consiste em comer bem e  praticar exercícios físicos.

— Viajo o mundo todo, quando não tenho tempo de me exercitar em horários  normais, acordo às 4h, por que não? As pessoas têm que pensar: se eu não me  colocar em primeiro lugar, quem vai colocar?

Até três anos atrás, ele era corredor de maratona (42 km), “até meus joelhos  dizerem: não mais”. Para manter o gasto de energia que tinha com as corridas,  Ignarro escolheu o ciclismo. A meta é pedalar 200 km por semana, seja ao ar  livre, na academia, ou nas aulas de spinning. Além disso, ele faz 45 minutos de  musculação de terça a sexta, e 30 minutos de alongamento diariamente. Menos às  segundas,“dia de descanso”.

Além dos exercícios, Ignarro dorme de seis a sete horas por dia e é fã de  produtos naturais; ele é, inclusive, garoto-propaganda da Herbalife. O café da  manhã, aliás, é um shake de proteína da marca, ao qual ele adiciona um monte de  frutas, leite de soja e gelo.

— Tomo dois copos de manhã, cada um tem só 80 calorias, e isso me deixa saciado até a hora do almoço — garante.

Como boa parte dos americanos, principalmente moradores da Califórnia, como ele, Ignarro não faz do almoço a principal refeição do dia, lugar ocupado pelo jantar. No almoço, iogurte e frutas; às vezes, ovos. O lanche é uma ou duas fatias de pão integral com manteiga ou geleia. No jantar, salada ou legumes cozidos (temperados com azeite de oliva ou trufado, “porque o azeite é um óleo bom”), uma carne (“peixe ao menos duas vezes por semana, faço questão do meu salmão”) e massa integral, “porque, afinal, sou descendente de italianos”. Ignarro toma dois copos de vinho tinto por dia, por causa da propriedade antioxidante “mais do que comprovada”.

— Se eu fosse magrinho, acrescentaria ainda uma xícara de oleaginosas (nozes, amêndoas, castanha-do-pará, avelã, macadâmia) à minha dieta diária. Porque, é impressionante, uma xícara aumenta em minutos a quantidade de óxido nítrico no sangue. O problema é que as oleaginosas são muito calóricas. Quando tenho vontade de doce, opto pelo chocolate com 70% ou mais de cacau.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

11 + 2 =