fbpx

Estilista Pierre Cardin está cheio de vida aos 92

Por Maya Santana

O estilista italiano naturalizado francês continua em plena atividade

O estilista italiano naturalizado francês continua em plena atividade

A primeira vez que ouvi falar do Pierre Cardin foi no final da década de 1950, através do meu amigo Wagner Penna, jornalista, atento observador do mundo da moda desde criança. A partir daquela época, durante muitas décadas, a fama do estilista nascido na Itália e naturalizado francês, só cresceu. Hoje, aos 92 anos de vida, riquíssimo, ele continua nas páginas de moda.

Leia o artigo publicado pelo Estadão:

Enérgico e contraditório, Pierre Cardin reúne um dos legados mais ecléticos da história da moda. Seus desenhos futuristas revolucionaram a passarela, e foi um dos primeiros grandes em abraçar o “prêt-à-porter”, embora hoje reconheça que não se sente “no mesmo tempo” da rua e da passarela.

Beatles vestindo o lendário terninho criado pelo estilista nos anos 60

Beatles vestindo o lendário terninho criado pelo estilista

Em resposta sobre se acredita que a passarela representa o momento em que vivemos, o designer diz em entrevista que, “infelizmente, sim”, e considera que, apesar de seu distanciamento do mundo da moda atual, esse é um dos setores fundamentais da cultura. ”Se você fecha os olhos, através da moda pode ver o tempo passar. Sem moda, quem você é quando está nu?”, questiona o criador, que conserva sua vitalidade aos 92 anos e elogia o estilo como um componente intrínseco da identidade do indivíduo. ”Você pode ser negro, branco ou chinês, mas de que nacionalidade você é quando está nu? É a roupa a que cria a nacionalidade”, argumenta um Cardin que foi um dos responsáveis por levar a modernidade à passarela com desenhos de linhas psicodélicas.

A ousadia em levar o design ao grande público lhe valeu a expulsão do clube da alta costura francesa, sendo readmitido mais tarde, mas o italiano naturalizado francês sempre fez o que quis dentro e fora das passarelas. Cardin é um dos grandes mitos da alta costura, mas suas experiências englobam desde os restaurantes – é proprietário da rede Maxim’s – e os hotéis até a produção teatral. ”Não tenho complexos”, afirma o criador, que domina como poucos a arte das entrevistas e que, antes de começar a responder, pergunta: “Em quanto tempo você quer as respostas?”. Veja que lindo este vídeo com a moda de Cardin:

Nascido Pietro Cardin em San Biagio Di Callalta, na região italiana de Vêneto, em 1922, o costureiro reconhece que pelo teatro sente “nostalgia”, desde que era jovem; de fato, se introduziu na modacomo uma “maneira de ganhar dinheiro” para poder, assim, “pagar” por seus cursos de teatro, já que, quando desembarcou em Paris, era só “um refugiado da guerra”, lembra. ”A princípio queria ser ator e dançarino (…), mas também queria poder escolher os papéis da minha vida (profissional)”, explica o estilista.

Começou na moda com Jeanne Paquín e Elsa Schiaparelli, duas das casas mais relevantes da época, e depois trabalhou com Christian Dior (1945), mas em 1950 decidiu que já estava preparado para abrir sua própria marca de moda. ”Ao conhecer tantos autores e escritores tive vontade de existir por mim mesmo”, argumenta o designer. A aventura não foi em vão.
O empório Pierre Cardin, que o estilista pôs à venda há dois anos pela quantia de 1 bilhão de euros, ainda sem comprador, reúne centenas de licenças com seu nome, uma linha de roupa em Paris, propriedades imobiliárias, assim como restaurantes, hotéis e o Espaço Pierre Cardin.

O espaço, que é um centro artístico e fica no antigo Théâtre des Ambassadeurs, foi comprado há quatro décadas com o objetivo de divulgar o trabalho dos talentos jovens da arte e do espetáculo. Por ele passaram estrelas como Marlene Dietrich, Jeanne Moreau, María Casares, Jean Cocteau, Juliette Greco e Dionne Warwick. De Dietrich, ficou a lembrança de “um ser muito particular” e, embora “não fosse fácil trabalhar com ela”, acredita que ela tinha adoração por ele, relata Cardin, que acredita que conhecer esses artistas “tão jovem” lhe serviu para viver a vida “com muita liberdade”.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

sete + onze =

4 Comentários

Avatar
MARIA Geralda Cordeiro de Oliveira 6 de maio de 2014 - 19:30

Nossa este ícone da moda é tudo!

Responder
Avatar
tadeu soares 30 de abril de 2014 - 11:45

Otimo post! adorei! ele é um icone! a informaçaõ – UM TRILHAO, procede?

Responder
Avatar
ana maria 9 de abril de 2014 - 18:26

Achei extremamente interessante o comentário dele: ” sem moda quem é vc qdo está nu?”

Responder
Avatar
lisa santana 9 de abril de 2014 - 14:44

Este ícone da moda deixa a gente sem palavras.

Responder