fbpx

Estilista Ronaldo Fraga se aventura no teatro

Por Maya Santana

O estilista é conhecido pela criatividade de por valorizar temas brasileiros em suas coleções

Ronaldo é conhecido por valorizar temas brasileiros em suas coleções

Pela primeira vez, o estilista mineiro Ronaldo Fraga, beirando os 47 – faz aniversário no dia 6 de fevereiro – assina a direção de arte de um espetáculo teatral. A estreia de Ronaldo será na peça “Fonchito e a Lua”, neste sábado, dia 25, no Centro Cultural Banco do Brasil, no centro Rio. O estilista cuida de todo o conceito estético, incluindo cenário, figurino e a programação visual da peça, baseada na obra de Mario Vargas Llosa. Ronaldo é conhecido pela criatividade e por valorizar temas brasileiros em suas coleções de moda

Leia o artigo escrito por Ana Clara Brant publicado pelo portal Uai:

Ninguém tem dúvidas de que os desfiles de Ronaldo Fraga são um verdadeiro espetáculo, mas já há algum tempo o estilista mineiro tem enveredado para valer no universo da encenação, no teatro e na dança. Produções como Santagustin, do Grupo Corpo; Por parte do pai, de Nathália Marçal, em homenagem à obra de Bartolomeu Campos de Queirós; e Passanoite, da São Paulo Companhia de Dança, têm o dedo de Fraga, seja assinando figurino, cenário ou a direção de arte. A mais recente empreitada estreia no dia 25, no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro (CCBB-RJ), Fonchito e a Lua, adaptação teatral do livro do escritor peruano Mario Vargas Llosa. Em março, a montagem chega a Belo Horizonte, no Teatro Oi Futuro Klauss Vianna.

Atores vestidos com trajes desenhados pelo estilista mineiro

Atores vestidos com trajes desenhados pelo estilista mineiro

O diretor Daniel Herz e o dramaturgo Pedro Brício ficaram encantados com o trabalho que o estilista executou na exposição em homenagem ao Rio São Francisco e o convidaram para participar de Fonchito. “Eles queriam que o público entrasse no universo do Peru, onde se passa a história, assim como as pessoas que visitaram a mostra foram transportadas para o São Francisco. Quando o Daniel Herz me chamou, eu estava bem atribulado e não pude aceitar de cara, mas eles me esperaram e fiquei muito feliz com esse convite. É um projeto muito rico e bacana”, celebra.

Ronaldo Fraga não teve muito tempo para desenvolver o cenário e o figurino e, embora o conto de Vargas Llosa se passe em Lima, ele não fez exatamente uma transposição do lugar. “É uma história universal, que poderia acontecer em qualquer espaço geográfico, já que aborda o primeiro amor, a infância, a fase da pré-adolescência. Às vezes, fica um pouco difícil conciliar esses projetos com a moda. Mas tenho conseguido fazer pelo menos uns dois por ano, ainda mais quando é algo bem sedutor. E não me envolvo só com o figurino e o cenário. Acabo sendo o diretor criativo e dou palpites em outras questões da montagem”, explica.  Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

três + 3 =