fbpx

Exposição David Bowie em SP é um ótimo programa

Por Maya Santana

O exótico traje em vinil que Bowie  usou na turnê Alladin, em 1973

O exótico traje em vinil que Bowie usou na turnê Alladin, em 1973

Ana Maria Cavalcanti

A exposição de David Bowie”, um dos artistas mais influentes do rock e do pop do século 20, está atraindo muita gente – curiosamente, muitos jovens – ao MIS, em São Paulo. As filas para entrar são enormes e exigem paciência, por que andam devagar, mas vale muito a pena esperar para ver de perto as roupas usadas por Bowie em seus shows e turnês e ouvir as músicas dele, que fazem sucesso há mais de cinco décadas. A montagem da exposição, sucesso absoluto de público quando foi montada em Londres, já é por si só um show.

Aqui encontramos a história do artista, nascido em janeiro de 1947 no bairro londrino de Brixton. Começou a carreira aos 15 anos de idade e, já aos 22, conheceu o sabor da fama, com Space Oddity (Estranheza Espacial, em tradução literal). O lançamento da música coincidiu com a chegada do homem á lua. Ela ficou em quinto lugar na parada pop britânica. De lá pra cá, David Bowie já vendeu um total de 136 milhões de disco.

Space Oddity foi o começo da fama, quando Bowie tinha 22 anos

Space Oddity foi o começo da fama, quando Bowie tinha 22 anos

Quem não está familiarizado com o som de David Bowie não deve se preocupar. Na entrada do MIS, você recebe um fone de ouvido, que não é um áudio-guia e sim uma forma de levar o som de David Bowie aos ouvidos do público. É o caso de Ziggy Stardust. Para cantar este que foi um dos seus grandes sucessos, David Bowie se apresentou com um visual sexualmente ambíguo, atrevido, andrógino: cabelos vermelhos espetados, batom nos lábios, rosto pintado, roupas brilhantes. Isso, em 1972! O rascunho da música pode ser visto na exposição – uma preciosidade.

Tudo junto, o MIS está apresentando 300 peças de David Bowie entre roupas, botas, filmes, videoclips, fotografias, rascunhos de músicas, instrumentos musicais. Mas o que aparece mais são as roupas usadas por Bowie para cantar. Em certos momentos, ele parecia ela. Um camaleão que mudou de estilo ao longo de sua carreira. A cada mudança de estilo musical, um novo estilo de se vestir.

Uma das roupas mais impressionantes da exposição é o traje em vinil que Bowie usou na turnê Alladin, desenhado pelo estilista japonês Kansai Yamamoto, em 1973. Outro destaque da exposição é a jaqueta com a Union Jack britânica criada por Alexander McQueen para acapa do álbum ‘Earthling’ (1997).Além de músico, David Bowie B é ator e já participou de 20 filmes, entre eles: Fome deViver, a Ùltima Tentação de Cristo. Trechos dos filmes estão sendo apresentados na exposição

Além de músico, David Bowie é ator e já participou de 20 filmes, entre eles Fome de Viver e a Ùltima Tentação de Cristo. Trechos dos filmes estão sendo apresentados na exposição, concebida em Londres pelo Victoria and Albert Museum, que teve acesso exclusivo aos arquivos do artista. Também em Londres a exposição tornou-se sucesso de público e crítica. Além da capital inglesa, Toronto, no Canadá, foi a única cidade a realizar a mostra antes de São Paulo..

David Bowie mora em Londres com a mulher, a modelo somali Iman. Leva uma vida tranquila, não usa mais batom, mas continua lindo aos 67 anos de idade. E o mais importante é que continua se reinventando: depois de 10 anos, acaba de lançar um novo álbum. Confira:

A exposição vai até Agosto, com ingressos a 10 reais; meia-entrada, cinco. A entrada é gratis às terças-feiras.

Ana Maria Cavalcanti  é jornalista

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

1 Comentários

Avatar
Claudia Saiani de Garrido 24 de fevereiro de 2014 - 16:31

Bowie, sempre contemporâneo. E São Paulo com o privilégio de receber esse baluarte da música pop mundial. Bela matéria.

Responder