Exposição de fotos mostra avó super heroína

Por Maya Santana
Ela tem  94 anos e foi salva da depressão pelas ideias do neto

Ela tem 94 anos e foi salva da depressão pelas ideias do neto

Veja como o amor de um neto pela avó transformou a vida dela de maneira radical. Muito ativa ao longo da mocidade e da maturidade, Frederika começou a sofrer de depressão quando chegou aos 80 e deixou de trabalhar na indústria da moda, como vinha fazendo até então. O neto mostrou que a vida reservava muito mais para ela.

Leia o artigo publicado no portal G1:

A ideia surgiu por altruísmo. Oito anos atrás, o retratista francês Sacha  Goldberger, de 41 anos, resolveu transformar sua avó, Frederika, em modelo de  ensaio fotográfico. Húngara de nascimento, Frederika sobrevivera à perseguição  nazista da Segunda Guerra, abrigara famílias de judeus em sua casa, casara-se  quatro vezes, mudara-se para a França e fizera carreira na indústria da moda.  Então com 86 anos, gozava de uma aposentadoria serena, tranquila, pacífica e,  por isso mesmo, insuportável. Estava deprimida.

Neto preferido que era, Sacha inventou de dar-lhe uma função. Tirou-a da  cama, maquiou-a e fê-la posar, diante de uma equipe de dez pessoas, em situações  lúdicas e absurdas (usando capacete de motoqueiro, aparando uma suposta barba,  sendo psicoanalisada por uma galinha). Publicadas num site, as fotos viraram  sucesso entre seus amigos. Frederika começou a se animar.

Frederika tornou-se famosa depois que as fotos foram postadas na internet e ganharam o mundo

Frederika tornou-se famosa depois que as fotos foram postadas na internet

— Ela queria que eu entrasse na internet, todo dia, para ver o que as pessoas  diziam — Sacha contou à Revista O GLOBO por telefone, de Paris, onde mora. —  Isso a fez sair daquele estado de tristeza.

O pulo do gato, no entanto, aconteceu quatro anos depois. Após visitar uma  exposição do artista francês Gilles Barbier — que esculpe, em tamanho real,  super heróis envelhecidos e largados num asilo —, Sacha resolveu se apropriar da  ideia. Mas colocou um toque pessoal: ao passo que os heróis de Barbier estavam  decrépitos e decadentes, os seus — ou melhor a sua seria tão ativa e jovial  quanto um Capitão América na flor da adolescência.

Nasceu assim o projeto Mamika — em que Frederika, à Mulher Maravilha, é retratada voando, escalando um prédio, empunhando uma furadeira elétrica como quem segura uma arma. E, como nem tudo são glórias na vida de uma heroína, Sacha também retratou sua avó — sempre uniformizada — em ações triviais do dia a dia, como uma ida ao salão de beleza, ao mercado, à lavanderia. Clique aqui para ler mais.

Mamika é  húngara, sobrevivente da Segunda Guerra Mundial

A super heroína Mamika cuidando da beleza


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais