fbpx

Fascite plantar: uma dor como se estivesse pisando em agulhas

Por Maya Santana

A doença se manifesta principalmente entre 40 e 60 anos

Maya Santana, 50emais

Fascite plantar é a inflação da fascia plantar – formada por um tecido que se estende do calcanhar até a ponta dos dedos. Este artigo não menciona, mas um dos problemas que podem ocasionar inflamação é o tipo de calçado que se usa. Alguns médicos aconselham a não usar rasteirinha ou qualquer outro tipo de calçado completamente sem salto. Há outros fatores que contribuem para o surgimento da fascite plantar, como a obesidade. A doença, que provoca dores horríveis, costuma se manifestar em pessoas com idade entre os 40 e e 60 anos, como explica este artigo de Marília Padovan, do Correio Braziliense.

Leia:

Quando acorda e se levanta, a pessoa sente uma dor forte e aguda na parte inferior dos pés. Ao longo do dia, a sensação tende a diminuir, mas, cada vez que se levanta após um longo período sentado, lá está a dor, de novo. Esse é o principal sintoma da fascite plantar, uma inflamação que ocorre na região da sola do pé.

A doença se manifesta principalmente entre 40 e 60 anos e tudo acontece a partir de um tecido fibroso no pé, a fáscia plantar, explica o médico Leônidas Bomfim, coordenador de ortopedia do Hospital Santa Lúcia e ex-presidente da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia do DF. O tecido se estende do calcanhar até a ponta dos dedos e tem a função de sustentar o arco plantar.

“Quando há inflamação desse tecido, a caracterizamos como fascite plantar. Ela pode ocorrer devido a microtraumas nessa região, esforço repetitivo, impactos, sobrecarga ou processos degenerativos”, afirma Bomfim. O início súbito de exercícios de alto impacto — como a corrida de rua, o crossfit ou outra modalidade que impacte diretamente o calcanhar — é considerado uma das causas comuns do problema, que afeta parte da população.

De acordo com a Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor (SBED), estudos recentes têm demonstrado que a dor da fascite plantar pode estar associada “a uma alteração estrutural mais condizente com processos degenerativos” causados pela prática exagerada de exercícios físicos ou pela idade, por exemplo. Mas, entre as causas mais frequentes encontra-se o aumento de peso da população brasileira.

Dados do Ministério da Saúde apontam que uma em cada cinco pessoas no Brasil está acima do peso. Em 10 anos, o percentual dos que sofrem com sobrepeso saltou sete pontos percentuais — de 11,8%, em 2006, para 18,9%, em 2016. Se o Índice de Massa Corpórea (IMC) aumenta, o indivíduo carrega uma carga além da prevista, o que favorece a inflamação da área.

Leia também:
Por não ter salto, rasteirinha causa dores e lesões graves nos pés

Devido à dor crônica recorrente, a fascite plantar interfere diretamente na qualidade de vida do paciente. O processo inflamatório provoca limitações, como dificuldades para caminhar e praticar atividades físicas e de lazer. Por isso, ao surgir qualquer suspeita da patologia, é importante procurar um especialista para fazer o diagnóstico e providenciar a intervenção mais adequada.

O tratamento conservador e não-invasivo é o recomendado para quase todos os pacientes, orienta Bomfim. “Ele consiste em reduzir o processo inflamatório local, identificar os fatores de risco e reabilitar o paciente”, adianta o médico. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

7 − três =

12 Comentários

Avatar
Vanda 11 de novembro de 2019 - 12:51

So uso sandalia com um saltinho que faz toda diferença.
Qualquer calçado que seja.

Responder
Avatar
Zélia Cerqueira 3 de abril de 2019 - 21:34

Por coincidência no dia que eu comecei sentir a dor eu vi essa matéria,fui ao ortopedista e o diagnóstico foi o mesmo que eu li . já comecei o tratamento.

Responder
Avatar
Valeria 3 de março de 2019 - 12:39

No meu caso, já fui em várias médicos, faço alongamento direto, uso palmo nas próprias, não uso sapatos rasteiros, faço acupunture e mesmo assim sofro… Mais alguma coisa pra ser feita ? Alguma pomada ou anti-inflamatório diferente ?

Responder
Avatar
Laurilia Veiga Hansen 28 de fevereiro de 2019 - 12:01

Excelente matéria. Estou em tratamento desse problema. E o médico avaliou exatamente o que consta nessa matéria. Importante avaliar o sobrepeso, e fazer boas articulações com os pés para fortalece-los. Vigilância constante, porque as dores são terríveis.

Responder
Avatar
Tarcilia da Glória Gomes ramos 25 de fevereiro de 2019 - 21:23

Eu tenho tanta dor nos pés ,não posso calçar sapatos de salto,os pés não dobra,calço com plataforma assim mesmo não muito alto,já tirei raio x e não tem nada.
O que tenho que fazer?

Responder
Avatar
Israel Beigler 2 de março de 2019 - 10:37

No meu caso, acabou com sapatos de solado especial, com bom amortecimento nos saltos. Marca “Pegada”. Trocar chinelos rasteiros por Crocs também é ótimo !

Responder
Avatar
LAERCIO BRUNO FILHO 24 de janeiro de 2018 - 22:15

EU TENHO , SOU CORREDOR DE PROVAS DE RUA, CORRO HÁ 18 ANOS. HÁ 1,5 ANO APARECEU A FASCITE PLANTAR. NO INICIO NÃO SABIA O QUE ERA, TIVE Q PARA DE CORRER, HJ CORRO 1 X POR MES NO MAXIMO 2 X. CORRO DEVAGAR E POUCO. ESTOU ME RECUPERANDO ATRAVÉS DE MUITA FISIO ( EU MESMO FAÇO) BASEADA EM ALONGAMENTOS DIARIOS E TBEM ALONGAMENTO DA FASCIA PLANTAR (ENCONSTAR A PONTA DO PÉ NA PAREDE, OS DEDOS FICAM EM ANGULO DE 90 GRAUS EM RELAÇÃO Á PLANTA DO PÉ) GRAÇAS Á ISSO E MUITA PACIENCIA ESTOU COMEÇANDO A OBTER RESULTADOS POSITIVOS. ESTOU RECOMEÇANDO A CORRER, NA VELOCIDADE DE 7,5 /8,0 KM/H. JÁ É UM GRANDE PROGRESSO ( ANTES CORRIA Á 14-16/H). QDO CORRO REENCONTRO UM ENORME PRAZER ….. É IMPAGÁVEL. RECOMENDO PACIENCIA E DEDICAÇÃO, UM DIA SARA.!!

Responder
Avatar
Rita Funaro 23 de janeiro de 2018 - 18:54

Eu tenho, e no meu caso tenho certeza ter sido a obesidade que me acompanhou por 20 anos, hoje sinto menos dores, porém ficaram as sequelas, salto ti nem pensar….

Responder
Avatar
Tania rocha 21 de dezembro de 2017 - 16:51

Melhorei passando pomada antiinflamatoria na batata da perna e massageando e alongando esse local

Responder
Avatar
Luzia Werneck 20 de dezembro de 2017 - 21:55

Uma sugestão de pauta: misofonia. Entrevistar um médico sobre tal “transtorno”. Muits não sabem que incômodo é esse. Abraço fraterno.

Responder
Avatar
Luzia Werneck 20 de dezembro de 2017 - 21:52

Muito boa a matéria. Importante e necessária.

Responder
Avatar
Luci DavidL 20 de maio de 2018 - 09:46

Realmente! Uma matéria e tanto. Já tive isso, o o diagnóstico que me deram, foi exatamente esse. Mudei meu modo de vida, e não sei pra onde foi a dor infernal que sentia na planta do pé. Segue essas fica aí, que funciona.

Responder