fbpx

Fernanda Montenegro faz 86 e, pelo facebook, homenageia os fãs

Por Maya Santana

A grande atriz comemorou o aniversário ao lado da filha, Fernandinha, no show de Caetano e Gil, no Rio

A atriz comemorou o aniversário ao lado da filha, Fernandinha, no show de Caetano e Gil, no Rio

Fernanda Montenegro, a mestra das artes cênicas, comemorou na sexta-feira, 16 de outubro, seu aniversário de 86 anos assistindo ao show de Gil e Caetano, no Rio de Janeiro, ao lado da filha, a também atriz, e também grande, Fernanda Torres. Antes de se aprontar para passar a noite fora, Fernanda Montenegro se deu ao trabalho de gravar um trecho de um texto belíssimo de simone de Beauvoir para, segundo ela, fazer, através da internet, uma “ponte com você que me acompanha pela vida afora.”

Leia:

Hoje, 16 de outubro, dia do meu aniversário, eu estou me dando como presente fazer essa ponte com você que me acompanha pela vida afora. Desde o rádio, TV, teatro… muito teatro, mais teatro na vida. E agora, pela internet. É uma nova fase da minha vida. Portanto, nessa alegria e nesse momento de confraternização, eu escolhi um texto que vai falar muito do que eu tenho na minha alma nesse momento em que estou entrando em contato com você. E espero que por muitos anos nós possamos ter esse papo, essa conversa, essa troca de sentimentos e de vivência.

Eu vou ler pra vocês um pequeno trecho de um espetáculo que eu faço já há muitos anos, sobre Simone de Beauvoir, que é uma escritora extraordinária, uma pensadora extraordinária, uma revolucionária, uma socióloga, uma filósofa. Por tudo que se puder dizer do que representa essa mulher como força intelectual, força humana. Uma mulher que soube dignificar o nosso sexo dito frágil, que de frágil não tem nada. Então, eu vou ler um trechinho para dar inicio a essa nossa ponte, como eu falei no início, de comunicação humana:

“A Simone diz assim: Quanto a mim, não mais me deitar cansada no feno perfumado ou deslizar na neve deserta, onde exatamente eu me encontro. O que me surpreende é a impressão de não ter envelhecido, embora eu esteja instalada na velhice. O tempo é irrealizável. Provisoriamente, o tempo parou para mim. Provisoriamente.

Não ignoro as ameaças que o futuro encerra, como também não ignoro que é o meu passado que define a minha abertura para o futuro. O meu passado é a referência que me projeta que eu devo ultrapassar. Sim, é isso. Reconheço que ao meu passado eu devo o meu saber, a minha ignorância, os meus interesses, minhas relações, minha cultura e o meu corpo.

Hoje, que espaço deixa o meu passado para a minha liberdade? Não sou escrava dele. Não sou escrava do meu passado. O que eu sempre quis foi somente comunicar , da maneira mais direta, o sabor da minha vida. Da minha própria vida. Acredito que consegui fazê-lo . Não desejo nem desejei nada mais do que viver sem tempos mortos.

Para ouvir Fernanda Montenegro recitando o texto de Simone de Beauvoir, clique aqui

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

dezesseis − catorze =

2 Comentários

Avatar
Stella van der Klugt 6 de novembro de 2015 - 11:26

Olá Fernanda,
Você para mim sempre foi um exemplo, seu casamento, seus filhos, seu trabalho sempre buscando a verdade e buscando aprender com a vida. Mas discordo da velhice acho um momento horrível na nossa vida , é o inferno na terra , é o momento em que nos tornamos orfãos . Onde perdemos a saúde onde perdemos amigos e companheiros onde a insegurança de um futuro pior ainda e sempre piorando nos invade. Não sei onde buscar forças a não ser na minha profissão e nos poucos grandes amigos que me cercam. Neste momento ter um apoio afetivo é vital. Mas que a velhice é o inferno isso é.

Responder
Avatar
Mônica Minelli 18 de outubro de 2015 - 20:39

Fernanda Montenegro é GENIAL…. sempre nos surpreendendo! Uma lição de vida!
Bj

Responder