Cannes premia filme sobre Sebastião Salgado

Por Maya Santana
O fotógrado mineiro, 70, vive em Paris

O fotógrado mineiro, 70, vive em Paris

O premiado documentário sobre Sebastião Salgado, nosso fotógrafo mais badalado no exterior, só chega ao Brasil no final do ano. Lógico que agora mais aguardado do que nunca. Interessante neste filme é que foi dirigido pelo grande Wim Wenders, alemão, e pelo filho de Sebastião, Juliano Salgado. Foi aplaudido de pé.

Leia os detalhes do prêmio neste artigo publicado pelo Uol:

Depois de ser ovacionado por cinco minutos no Festival de Cannes, o documentário “O Sal da Terra”, sobre o fotógrafo Sebastião Salgado, foi escolhido na tarde desta sexta  para receber o prêmio especial do júri da mostra Un Certain Regard, presidido pelo cineasta argentino Pablo Trapero. O filme tem direção do alemão Wim Wender e de Juliano Salgado, filho de Sebastião.

O júri que premiou “O Sal da Terra” também incluía o produtor Peter Becker, a atriz Maria Bonnevie, a atriz francesa Geraldine Pailhas e o diretor senegalês Moussa Toure.

Os diretores Juliano Ribeiro Salgado e Wim Wenders (Foto: Getty Images)

Os diretores Juliano Ribeiro Salgado e Wim Wenders (Foto: Getty Images)

Ao receber o prêmio, Juliano disse estar emocionado. “O filme fala da obra dos meus pais. Quisemos passar uma mensagem de esperança e fomos reconhecidos pelo júri”, disse. Wenders já havia deixado Cannes, mas os produtores do documentário disseram que o cineasta alemão está “louco de alegria” com o prêmio.

Em “O Sal da Terra”, o próprio Salgado vai contando as histórias por trás de suas fotos mais emblemáticas, começando pelas impressionantes fotos feitas em Serra Pelada nos anos 80. Wenders e Juliano narram alguns trechos, mas falam bem menos que o próprio fotógrafo.

Único documentário apresentado nesta seção oficial do Festival de Cannes, “O Sal da Terra” vai estrear em outubro na França, e no Brasil deve chegar às telonas no fim do ano. O filme já foi comprado por vários países europeus, além de Austrália e Nova Zelândia.

O documentário também recebeu um prêmio do Júri Ecumênico, formado por uma organização católica relacionada com o mundo do cinema (SIGNIS) e pela Interfilm para premiar filmes que destaquem os valores humanos e religiosos. Clique aqui para ler mais.

Assista à reportagem da France Presse:


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





2 Comentários

monica minelli 26 de maio de 2014 - 01:29

Amo o trabalho de Sebastião,,, uma vida em P & B.
Para poucos e únicos.
PARABÉNS pelo PREMIO.
bj

Responder
Joana 24 de maio de 2014 - 13:14

Tenho orgulho de conhecer Sebastião Salgado, e de ter nascido na mesma cidade q ele, pessoa humilde demais, meu conterrâneo, tem feito um trabalho lindo aqui na cidade e região com o Intituto terra http://www.institutoterra.org/pt_br/#.U4Ca6XLxr6M

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais