fbpx

Trigo freekeh – o grão da moda

Por Maya Santana

A colheita do trigo é feita com a semente ainda verde

A colheita do trigo é feita com a semente ainda verde

O trigo freekeh é um cereal consumido há milênios, mas tem aparecido como novidade em restaurantes de Nova York, Londres e outras capitais da Europa. Muito usado na culinária árabe, o grão deve invadir em breve os pratos brasileiros, principalmente dos adeptos da alimentação natural. Mas será que é mesmo um alimento compensador ou apenas mais um modismo alimentar?

Confira 10 perguntas e respostas sobre o freekeh:

O que diferencia o trigo freekeh?

A colheita do trigo é feita com a semente ainda verde, o que resulta na modificação do perfil nutricional. Um estudo realizado na Universidade de Adelaide, Austrália, publicado na revista Journal of Agricultural and Food Chemistry em 2003, concluiu que o trigo verde freekeh tem concentração de luteína e zeaxantina superior a outras fontes de trigo e massas analisadas. A oferta de luteína de zeaxantina do freekeh só é menor que a de hortaliças e frutas.

O que é luteína e zeaxantina?

A luteína e zeaxantina são carotenoides com função antioxidante – protegem o organismo da ação prejudicial dos radicais livres. Esses dois carotenoides também são os únicos presentes no olho (na mácula). A função deles é de filtrar a luz azul, que poderia causar danos aos fotorreceptores da retina. Várias pesquisas mostraram que o consumo destes carotenoides está associado a um menor risco de degeneração macular com a idade.

A degeneração macular ocorre em 30% da população acima de 75 anos. Estima-se que 2,9 milhões de brasileiros com idade superior a 65 anos apresentam degeneração macular. A boa notícia é que é possível prevenir a doença por meio da nutrição adequada. A recomendação é de 4 a 7 porções de frutas e hortaliças ao dia.

Caso não encontre o freekeh na minha cidade, quais outros alimentos são fontes de  luteína e zeaxantina?

De forma geral, os vegetais de coloração verde têm a maior concentração de luteína, a zeaxantina está presente nas frutas e vegetais de coloração amarelo-alaranjado. Fontes de luteína: couve-flor, ervilha, brócolis, agrião, couve, mostarda, melão, espinafre, repolho. Fontes de zeaxantina: gema de ovo, pimentão amarelo, milho, nectarina, laranja, papaya, abóbora. Leia mais em veja.com.br

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

quatro × cinco =