fbpx

Gravadora lançará 59 canções inéditas dos Beatles

Por Maya Santana

Paul, George, John e Ringo em foto de outubro de 1965

Paul, George, John e Ringo em foto de outubro de 1965


Esta é uma grande notícia para os fãs dos Beatles. A banda mais famosa de todos os tempos, desfeita em 1970, continua no noticiário. Há sempre alguma notícia dos quatro, dos quais só restam dois, Paul e Ringo. John foi assassinado há 33 anos em Nova York, aos 40 anos de idade, e George, o Beatle quieto, morreu de um câncer, aos 58 anos, em 2001. As músicas que começarão a ser vendidas na semana que vem foram gravadas há 50 anos.

Leia o artigo publicado por O Globo:

A gravadora Apple Records, que detém os direitos autorais dos trabalhos da banda, vai lançar 59 canções inéditas na próxima semana. Segundo o site do jornal britânico The Guardian, o selo deve fazer isso por questões legais, já que as músicas podem cair em domínio público por terem sido gravadas há 50 anos, como preveem as leis europeias que versam sobre direitos autorais.

Para evitar a perda dos direitos sobre essas canções, a Apple Records agendou o lançamento para a próxima terça-feira. Chegarão às lojas quatro versões diferentes da música She Loves You, cinco de A Taste of Honeys e três de There’s a Place, entre outras. Do total, 44 canções foram gravadas para programas da rede britânica BBC em 1963.

A razão pela qual a gravadora está sendo forçada a lançar o material também já incentivou outros selos a fazerem o mesmo. Em janeiro, a Sony lançou uma coleção de quatro discos com 86 canções de Bob Dylan, mas em edição limitada, com apenas 100 cópias.

Álbuns americanos dos Beatles serão lançados em caixa especial

Como parte da celebração dos 50 anos da Beatlemania na América, a Capitol Records ressucitou um projeto iniciado em 2004, mas abandonado: o selo anunciou nesta quinta-feira que via lançar “The Beatles: The U.S. Albums”, uma coleção de 13 CDs que inclui as versões americanas dos álbuns do grupo lançados nos anos 1960, ou pelo menos aqueles com sequências de faixas diferentes (e em alguns casos mixagens diferentes) dos originais britânicos. A caixa será lançada em 21 de janeiro.

Os álbuns americanos são motivo de polêmica há décadas entre fãs dos Beatles. Muitos colecionadores preferiam que eles fossem esquecidos, argumentando que os discos britânicos refletem as sequências de canções e a qualidade de som que a banda aprovou. Nos EUA, os discos são mais curtos (normalmente 12 músicas, contra 14 no Reino Unido) e ganham reverb para refletir o que os executivos da Capitol consideravam o “gosto americano”. Como a Capitol excluía músicas e acrescentava singles (que não faziam parte dos discos britânicos), lançava depois compilações extras.

Para americanos mais velhos, no entanto, esses são os discos que eles cresceram ouvindo e muitos preferem essas versões. “Meet the Beatles”, primeiro álbum da Capitol, por exemplo, nos EUA traz quase só composições originais dos Beatles, com apenas uma cover (“Till there was you”), enquanto a versão britânica traz oito originais e seis covers. O “Rubber Soul” americano abre com “I’ve just seen a face”, que está no lado B do britânico “Help!”.

A nova caixa traz os discos “Meet the Beatles”, “The Beatles’ Second Album”, “A Hard Day’s Night”, “Something New”, “The Beatles’ Story”, “Beatles ’65”, “The Early Beatles,” “Beatles VI”, “Help!”, “Rubber Soul”, “Yesterday… And Today”, “Revolver” e “Hey Jude”.

Álbuns que são idênticos em suas versões americana e britânica — “Sgt.Pepper’s Lonely Hears Club Band”, “Magical Mystery Tour”, “Álbum branco”, “Yellow Submarine”, “Abbey Road” e “Let It Be” — não estão incluídos.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

dois × quatro =