fbpx

Há 20 anos o Brasil perdia Antônio Carlos Jobim

Por Maya Santana

 O maestro morreu em Nova York, em 1994, aos 67 anos de idade

O maestro morreu em Nova York, em 1994, aos 67 anos de idade

No próximo dia 8 de dezembro, completará 20 anos que Tom Jobim, nosso músico maior, morreu em Nova York, aos 67 anos, depois de sofrer uma parada cardíaca, enquanto se recuperava de uma cirurgia. O músico sofria de um câncer na bexiga. Sua perda abriu vazio impossível de ser preenchido. O maestro deixou como legado um tesouro musical.

Leia o artigo do site Livre Opinião sobre a vida e a carreira de Tom:

Há vinte anos a música brasileira perdia Tom Jobim (1927-1994), maestro soberano, membro-criador da Bossa Nova e ajudou a difundir o gênero para o mundo inteiro, marcando na história como um dos mais importantes movimentos musicais do país e Tom Jobim o maior expoente de todos os tempos da área musical.

Como a música diz, foi na rua Nascimento Silva, 107, que tudo começou a engatinhar para o surgimento da Bossa. Tom, junto a seu eterno parceiro, o poetinha Vinicius de Moraes, compôs e escreveu clássicos da música brasileira, sendo o mais conhecido e se tornou o hino da Bossa Nova: Garota de Ipanema. Em 1956, os dois se conheceram na pré-produção do espetáculo musical “Orfeu da Conceição”, escrita por Vinicius e arranjos musicais elaborados por Tom. Anos depois, a parceria se tornaria célebre com o lançamento do clássico álbum “Chega de Saudade”, na voz de João Gilberto, e o resto é história!

Tom consagrou-se com arranjos musicais inovadores reconhecidos no mundo todo. Álbuns marcantes com parceria nacionais e internacionais, como Chico Buarque, Edu Lobo, Elis Regina, Frank Sinatra e Stan Getz.

O Livre Opinião selecionou cinco canções que marcaram a carreira do maestro soberano, parcerias que destacaram a genialidade de inovar a música clássica com misturas das diversas culturas que o país apresenta. Da Bossa Nova ao samba, Antonio Carlos Jobim moldou a música brasileira, respeitou as tradições e construiu uma identidade em nossa cultura.

Registro histórico de dois gênios da música brasileira do século passado. A voz soberana de Elis Regina com os arranjos e letra de Tom Jobim marcaram este clipe de 1974, transmitido pelo programa Fantástico da Globo. No mesmo ano a parceria estaria registrada em um dos álbuns mais consagrados da música brasileira: Elis & Tom. No disco, clássicas canções como “Corcovado”, “Só Tinha de Ser Com Você”, “Fotografia” e a considerada a melhor canção brasileira de todos os tempos “Águas de Março”. Minuciosamente a letra da canção focava no conturbado período em que o país vivia no comando do governo militar, em que Tom foi bastante perseguido pela censura.

Outra parceria consagrada, Tom e Vinicius compuseram a canção no ano de 1962, enriquecendo a música na época e ultrapassou a fronteira percorrendo o mundo inteiro. A versão mais conhecida de Garota de Ipanema está imortalizada na voz de Frank Sinatra. Como todo clássico, existe uma lenda por trás da criação da canção, a garota de Ipanema que tanto encantava Tom e Vinicius é a modelo Helô Pinheiro, que sempre passava no local. Música atemporal, sempre contendo versões inovadoras, Garota de Ipanema tornou-se o marco da Bossa Nova. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

cinco − um =