Há dois anos Amy partia para a sua última viagem

Por Maya Santana
Cantora tinha só 27 anos quando foi encontrada morta, em Londres

Cantora tinha só 27 anos quando foi encontrada morta, em Londres

Há exatos dois anos, no início da tarde do dia 23 de julho de 2011, o mundo ficou chocado ao saber que Amy Winehouse havia sido encontrada morta por policiais em sua casa, em Londres. Nas horas seguintes, o local se tornou ponto de peregrinação para fãs que admiravam não apenas a voz e a música, mas também as atitudes desvairadas da cantora que traziam de volta à música mainstream um nome que ia de encontro ao establishment.

Desafiando todo e qualquer discurso politicamente correto cada vez mais em voga nos dias atuais, com astros do rock em campanhas pelo não uso de drogas e do cerco pesado de governos e mídia contra o consumo de cigarro e álcool, Amy teve uma vida curta e desregrada, muito semelhante à de outras estrelas da música que deixaram saudade em gerações, como Janis Joplin, Jimi Hendrix e Kurt Cobain.

A empatia dos fãs com esse estilo de vida da cantora era tanta que, nas horas seguintes à sua morte, a mansão onde morava foi cercada por maços de cigarro, garrafas de vodka e pequenos cachimbos, objetos bem diferentes das flores que costumeiramente ornamentam as casas de celebridades falecidas para homenageá-las. Não que margaridas, rosas, lírios não estivessem por lá, mas os símbolos dos vícios da britânica se destacavam entre elas. Leia mais em terra.com.br


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

Déa Januzzi 23 de julho de 2013 - 23:28

Pena que nossos ídolos morrem de overdose!!!! Eu tb não estou aguentando mais esse mundo insano.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais