Helen Mirren, no papel de mulher de Hitchcock

Por Maya Santana
O filme "Hitchcock" entra em cartaz nesta sexta-feira

O filme “Hitchcock” entra em cartaz nesta sexta-feira

Ela conquistou um Oscar de melhor atriz por seu desempenho no papel da rainha britânica Elizabeth, em 2007, mas a mais recente interpretação de Helen Mirren é a de um poder por trás do trono – ou, mais precisamente, por trás da cadeira de um diretor. Em “Hitchcock”, Helen contracena com Anthony Hopkins no papel de Alma Reville (1899- 1982), a devotada mulher do lendário diretor Alfred Hitchcock (1899- 1980).   O filme, que estreia no Brasil nesta sexta-feira, explora a vida doméstica de um dos mais emblemáticos e reverenciad os diretores de Hollywood, ambientado nos dias de sua luta para colocar “Psicose”, seu inovador clássico de 1960, nas telas.

Alternando entre suas batalhas no estúdio com os censores e com seu elenco – Janet Leigh (Scarlett Johansson), Vera Miles (Jessica Biel) e Anthony Perkins (James D’Arcy) – e sua tensa relação com Alma, devido à bem documentada obsessão dela com as sedutoras protagonistas do diretor, “Hitchcock” desvela aos cinéfilos um vislumbre de uma Hollywood passada. Mas ele pinta um retrato mais nuançado e simpático do diretor que Hopkins definiu como sendo “um homem defeituoso” do que retratado em “The Girl”, filme para TV que dramatizou o inferno em que Hitchcock colocou Tippi Hedren durante as filmagens de “Os Pássaros” (1963).

“É um grande papel”, diz Helen sobre Alma, uma editora cinematográfica e assistente de direção que cedeu os holofotes a seu marido, mas que, como o filme deixa claro, participou de praticamente todos os aspectos de seus filmes e até mesmo remontou “Psicose”, transformando-o na obra-prima conhecida de hoje.

Veja o trailer do filme:


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais