fbpx

Homens feministas

Por Maya Santana

Ilustração: Cacao

“Quem realmente gosta de mulher não pode ser contra o movimento por igualdade” Ilustração: Cacao

Ivan Martins

Convenhamos: feminismo entre nós é uma palavra associada a senhoras mal-humoradas que não cuidam das unhas. Não parece coisa de mulher bonita e muito menos de homens. No entanto, é. Algumas das mulheres mais atraentes que eu conheço são feministas. Assim como os caras que eu respeito. Parece ser um atributo de cultura e modernidade. Gente legal e instruída tende a ver o mundo como um lugar onde as mulheres ainda são discriminadas. Outro tipo de gente acha que o mundo está bem como está, com as mulheres ganhando menos que os homens, fazendo todo o trabalho de casa e, vira e mexe, sendo espancadas ou mortas porque resolveram abandonar um desequilibrado. Qual é a sua turma?

A minha eu defini faz tempo: gosto de mulher. Gosto de conversar com elas, de namorá-las e de trabalhar com elas. Aprecio a influência feminina na minha vida pessoal, na vida do meu país e da empresa em que eu trabalho. Acredito em igualdade, aplaudo a liberdade sexual e afetiva das mulheres, apoio sem restrições a briga delas para serem respeitadas nas ruas, nas baladas e no trabalho. Acho que o mundo será melhor quando poder e dinheiro forem repartidos de forma mais igualitária entre homens e mulheres. Sinto, fundamentalmente, que a melhoria da vida das mulheres é do meu interesse como homem. Ela me liberta da função de macho provedor e protetor que a esta altura da existência se tornou opressiva.

Essas opiniões e sentimentos fazem de mim um feminista? Naturalmente, mas nem vejo como poderia ser diferente. Desde criança, vivo cercado por mulheres inteligentes e interessantes. Muitas delas lindas. Nunca me passou pela cabeça que eu pudesse ser de alguma forma superior a elas. Diferente, sim; mas não melhor. Elas sempre foram tão bem quanto eu na escola, tenho visto como são bem-sucedidas no trabalho e, na intimidade, não canso de admirar os malabarismos que fazem para equilibrar funções de mãe, mulher e profissional. É um show de competência que poucos homens são capazes de reproduzir. Essas evidências sugerem para mim que o contrário do feminismo hoje em dia é machismo puro e simples – algo tão injustificável quanto racismo ou homofobia. Incompatível com o tempo em que vivemos. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais