Hormônio do amor para combater o envelhecimento

Por Maya Santana
A ocitocina é liberada na amamentação, no ato sexual até durante um abraço caloroso

A ocitocina é liberada até durante um abraço caloroso

A primeira vez que ouvi falar em ocitocina fiquei surpresa. Não imaginava que pudesse haver uma substância produzida naturalmente pelo homem e pela mulher com o nome de hormônio do amor. Fui dar uma olhada na internet e, segundo uma da muitas definições que encontrei, a ocitocina está intimamente ligada à sensação de prazer, bem estar físico e emocional. Agora, esse estudo da Universidade da Califórnia mostra que o hormônio é ainda mais importante do que se pensava.

Leia o artigo publicado pelo jornal Zero Hora:

A ocitocina, conhecida como “hormônio do amor”, é capaz de criar sensações reconfortantes durante interações sociais e físicas. Um recente estudo realizado pela Universidade da Califórnia, em Berkeley, aponta mais um benefício da ocitocina: poderia, um dia, ser usada para manter e reparar os músculos envelhecidos.

Os pesquisadores dizem que a ocitocina, hormônio liberado durante a amamentação, durante o sexo e até mesmo durante um abraço caloroso, poderia se transformar em tratamento viável para a perda muscular relacionada à idade. Associada com afetos sociais e românticos, a ocitocina aumenta a libido e é conhecida por criar laços sociais, familiares e afetivos.

— Esse é o hormônio que faz seu coração derreter quando você vê gatinhos, cachorros e bebês. Há uma piada atualmente entre a minha equipe de pesquisa de que estamos todos felizes, amigáveis e confiantes porque a ocitocina permeia o laboratório — disse a pesquisadora principal Irina Conboy, professora associada de bioengenharia e membro do Centro de Célula-Tronco Berkeley e do Instituto de Biociências Quantitativas da California (QB3).

No estudo, publicado no periódico Nature Communications, os pesquisadores observaram os níveis de ocitocina em ratos e descobriram que o hormônio diminui com a idade. Os ratinhos mais velhos apresentaram menos receptores de ocitocina em células-tronco musculares. Ao se injetar o hormônio em ratos, os músculos lesionados dos espécimes mais velhos começaram a se reparar depois de apenas nove dias. Clique aqui para ler mais.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





2 Comentários

Sandra Fonseca 21 de junho de 2014 - 12:17

Maravilha!! Vamos em busca da ocitocina….seja nos abraços calorosos, nas relações sociais ou na prática da generosidade… será que produz? Ocitocina? SERIA ÓTIMO!! Obrigada Maya.

Responder
Lino Antonio Melhado 20 de junho de 2014 - 17:23

Me envolvi em um acidente automobilistico em 97.
Em consequencia tive um “Traumatismo Encefalico
e por cosequencia, alguma disfunçao com relaçao aa
libido ocorreu. A memoria começou muito lentamente
seu retorno. Foram 45 dias de “Ausencia total”.,
,
Graças a Deus hoje estou totalmente recuperado.
Resumindo, tem muito a ver com o retorno de um romance significativo e automaticamente com a LIBIDO.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais