Hotel mais famoso do Brasil é reinaugurado

Por Maya Santana

Garrafinhas personalizadas e o Martini do Bar do Cipriani

Poucos lugares no Brasil tiveram tantos homens poderosos envolvidos em sua história quanto o Hotel Copacabana Palace. Desde a encomenda para a sua construção – feita pelo então presidente Epitácio Pessoa ao jovem empresário Octávio Guinle para a festa do centenário da República, em 1922 – até moradores célebres como o cantor Roberto Carlos e o apresentador Jô Soares. Quando Andrea Natal, atual gerente geral do Copa, foi contratada para o front desk, há pouco mais de duas décadas, quase todos os funcionários, e não apenas aqueles em cargos de chefia, eram do sexo masculino.

Garrafinhas personalizadas e o Martini do Bar do Cipriani

“Fui a primeira mulher a trabalhar ali, em contato direto com hóspedes”, lembra. Na época, a rede Orient-Express havia acabado de adquirir da família Guinle o hotel, que estava à beira da falência. Depois de um período áureo, em que hospedou chefes de Estado, quase toda a realeza europeia, cientistas como Albert Einstein e nove entre dez celebridades internacionais em visita ao País (dos Rolling Stones à Lady Di), o empreendimento amargava dívidas e ameaçava fechar.

Totalmente reformado,o Copa tem como marca o luxo

Mas hoje o cenário é outro, e repleto de mulheres no poder. Além de Andrea, que assumiu em 2008, quase todas as funções de gerência estão sob o comando feminino: da área de guest relations ao spa. De 1989 para cá, ano da venda para o grupo britânico, o Copa passou por uma completa metamorfose, que faz jus à sua história de glamour e sofisticação.

Detalhe do lobby (esq.) e o teto original do hotel, de 1923

Nesta quarta-feira, ele será reinaugurado após uma reforma completa no prédio principal, orçada em R$ 30 milhões, que ampliou o lobby, renovou os quartos, trocou todo o mobiliário e criou novos ambientes, como uma galeria de arte ao lado do antigo teatro. O serviço impecável e superpersonalizado dado aos hóspedes – que, ali, são chamados pelo nome pelos funcionários –, é um de seus grandes diferenciais. Primeira mulher a comandar um hotel do grupo, Andrea acha curioso sua equipe ter muitas garotas em cargos importantes – algumas delas, jovens entre 25 e 30 anos. “Mas acredito ser apenas uma coincidência”, afirma. “Se existe um segredo para um bom hotel, é a qualidade do serviço, com investimento contínuo na equipe, seja ela qual for.”

Princesa Diana gostava de nadar na piscina do hotel

Não deixa de ser irônico, todavia, que o projeto do Copacabana Palace tenha sido patrocinado, quase em sua totalidade, por uma… senhora. Pouca gente sabia, à época de sua construção, que quem financiava a obra grandiosa não era Octávio Guinle, o ambicioso homem de negócios, muito menos o presidente da República. Por trás de tudo estava dona Guilhermina, mãe de Octávio e mulher de Eduardo Guinle – que, quando faleceu, em 1912, era o homem mais rico e poderoso do Brasil.

Ava Gardner, outra celebridade que se hospedou no hotel

O casal teve sete filhos, mas Octávio havia sido deserdado pelo pai, por ter se casado com uma enfermeira americana que não era de seu agrado. Metade da fortuna ficou com a viúva, e o resto foi dividido igualmente entre os outros seis irmãos. Octávio ficou sem nada. A mãe, comovida, decidiu apoiar o projeto do filho – desde que, é claro, ele anulasse o casamento, o que de fato ocorreu em 1922. Leia mais em www.revistamarieclaire.com.br


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais