fbpx

A incontinência urinária é uma doença e tem tratamento

Por Maya Santana
A incontinência urinária afeta

A incontinência urinária afeta 35% das mulheres após a menopausa e quase de 5% dos homens submetidos à cirurgia para retirada da próstata. Estimativas também mostram que as grávidas podem ser vítimas da perda involuntária de urina na gestação e logo após o parto

Tenho amigas que sofrem de incontinência urinária. Boa parte delas acredita que isso é consequência da idade. E praticamente nenhuma faz exercícios para corrigir o problema que, como você vai ver neste artigo, publicado pelo portal Uai, tem tratamento. Saiba mais sobre as causas, sintomas e opções de tratamento para a perda involuntária de urina.

Leia o artigo:

A Incontinência Urinária é um problema que atinge 35% das mulheres após a menopausa e quase de 5% dos homens submetidos à cirurgia para retirada da próstata. Estimativas também mostram que as grávidas podem ser vítimas da perda involuntária de urina na gestação e logo após o parto. O recado da Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) é simples: é uma doença, não é normal em nenhuma idade e tem tratamento.

E é justamente o consenso de que a incontinência urinária está relacionada exclusivamente com o envelhecimento que, em muitos casos, por vergonha, pacientes não procuram ajuda. Esse comportamento atrasa o diagnóstico das disfunções do trato urinário e agrava o quadro. No caso específico dos idosos, o que acontece geralmente são alterações na bexiga, seja pelo envelhecimento do esfíncter ou por microcontrações do órgão.

A consequência imediata da doença é o prejuízo do convívio social. As causas são diversas – genéticas, hormonais, envelhecimento, tabagismo, bexiga hiperativa (aumento da frequência que a pessoa precisa urinar de forma urgente), lesões medulares, doenças do sistema nervoso – e existem três tipos de incontinência urinária:

– a de esforço: quando há perda de urina ao tossir, rir, fazer exercício
– a de urgência: ocorre quando há súbita vontade de urinar e a pessoa não consegue chegar a tempo ao banheiro.
– a mista: associação dos dois tipos anteriores.

Prevenção
A melhor forma de prevenir a doença são os exercícios para o fortalecimento da musculatura do assoalho pélvico, importantes para o controle da micção. A atividade é simples: contraia os músculos do períneo por 10 segundos e relaxe por outros 10. Repita a série dez vezes pelo menos três vezes ao dia.

Atividade física, alimentação equilibrada para o controle do ganho de peso e não fumar são exemplos de hábitos saudáveis que também ajudam a prevenir o problema.

Tratamento
Chefe do Departamento de Urologia Feminina da SBU, Márcio Averbeck afirma que mais da metade dos casos de incontinência urinária é de esforço. Para essa situação, o tratamento consiste em exercícios para o assoalho pélvico, medicamentos ou cirurgia como a neuromodulação sacral, técnica que utiliza um aparelho semelhante a um marca-passo para estimular os nervos que proporcionam o controle da bexiga. Desde 2014 essa abordagem terapêutica já é oferecida pelos planos de saúde. Clique aqui para ler mais.

close

Inscreva-se para receber conteúdo incrível em sua caixa de entrada, todas as semanas

Prometemos que nunca enviaremos spam! Leia nossa Política de privacidade para mais detalhes.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais