Inglês chocado com maneira que brasileiro vê Pelé

Por Maya Santana
Pelé é considerado um ícone mundial por suas conquistas dentro de campo

Pelé é considerado um ícone mundial por suas conquistas dentro de campo

Veja que curioso este artigo da BBC Brasil, escrito pelo jornalista Alex Bellos – ele morou no Rio como correspondente da emissora britânica -, fazendo uma comparação entre a maneira como os brasileiros veem Pelé e a imagem que os ingleses têm de Paul McCartney. Segundo o jornalista, o ex-Beatle é visto em seu país como um “tio chato”. E o mesmo acontece aqui com o nosso “rei do futebol”. De tudo o que vivenciou Brasil, Alex afirma que “nada me surpreendeu mais do que a reação que eu tive quando mencionei o nome “Pelé”.

Leia o artigo:

Quando eu me mudei de Londres para o Rio de Janeiro, em 1998, muitas coisas me deixaram chocado: a desigualdade social, o tempo que demorava para comprar uma linha telefônica e o jeito que os cariocas comiam pizza com ketchup. Nada me surpreendeu mais do que a reação que eu tive quando mencionei o nome “Pelé”.

Para mim – e todos os britânicos da minha geração -, Pelé é o maior ícone do futebol mundial, provavelmente o maior herói de todos os esportes. A história dele é simples de entender: um garoto negro pobre que surgiu do nada e se tornou o melhor do mundo por seu talento e dedicação.

O sucesso que ele teve, com o triunfo sobre a adversidade, resume o que todos nós amamos sobre o esporte.

'Pelé não é visto como modelo para os negros'

‘Pelé não é visto como modelo para os negros’

No Rio, a primeira vez em que eu disse o nome dele, pouco me deram atenção. “Pelé?”, resmungou um dos meus vizinhos com desdém. “Garrincha era muito melhor.”

Achei que aquilo era uma piada. Eu nunca tinha ouvido falar do Garrincha, que é pouquíssimo conhecido na Europa. Mas fui perguntando para as pessoas pela cidade e foi difícil encontrar alguém que elogiasse Pelé. Isso, em partes, era porque eu estava perguntando no Rio, e os brasileiros costumam ser bairristas na escolha deles de “heróis do futebol”

– Pelé jogou no Santos, e Garrincha no Botafogo. Mas eu também senti que, mesmo que as pessoas respeitassem Pelé, elas simplesmente não gostavam dele tanto assim.

Com mais tempo morando no Brasil, fui percebendo cada vez mais que este era exatamente esse o caso. Fiquei fascinado com a contradição entre a imagem internacional do Pelé e a imagem que ele tinha no seu próprio país, pelo menos na classe média urbana. Ele é parte do patrimônio global, um modelo para os negros ao lado de homens como Mohammad Ali e Nelson Mandela. Clique aqui para ler mais.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

Cecilia 10 de dezembro de 2014 - 17:00

Não gosto do Pelé porque não me representa. Poderia ser branco, amarelo não ia fazer diferença. Futebol só dá camisa pra quem joga e pra quem está envolvido com o mesmo, aos torcedores, claro. Mas o que me fez detestar ainda mais esse ser sem graça, foi o fato dele não ter reconhecido sua filha. Ela morreu cedo vencida por um cancer e sabemos que cancer na maioria das vezes é uma doença de origem emocional como mágoa por exemplo

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais