Inhotim anuncia construção de teatro ao ar livre

Por Maya Santana
Museu-jardim botânico Inhotim, a 70 kms de BH

O museu-jardim botânico, a 70 kms de BH, é o paraíso das artes

Se você ainda não foi a Inhotim, o  museu-jardim botânico situado na cidade de Brumadinho, a 70 kms de Belo Horizonte,  dê um jeito de ir na primeira oportunidade. Lá, você vai encontrar o melhor da arte contemporânea, espalhado numa magnífica área verde. O serviço dentro de Inhotim é impecável: funcionários corteses e conhecedores da história do lugar, além de uma comida, servida em dois restaurantes, simplesmente deliciosa. Agora, o local vai ganhar um teatro, erguido em uma área capaz de comportar 15 mil espectadores ao ar livre.  Haverá projeto de oficinas de roteiro com o Festival americano de Sundance. E o diretor executivo  Antônio Grassi planeja trazer a companhia da alemã Pina Bausch.

Leia os detalhes nesse artigo, publicado pelo jornal O Estado de Minas:

Chamar simplesmente de arena parecia pouco. Anfiteatro também não era a opção mais adequada. Ficaria sem o charme e a modernidade que o local, de certa forma, já carrega. Quando a cenógrafa e diretora Daniela Thomas veio a Minas apresentar o novo projeto a ser construído no Inhotim, ainda não sabia muito bem que nome dar. Até que Bernardo Paz, o idealizador do instituto de arte contemporânea, soltou: “Grota dos Sonhos”. Bateu o martelo.

Ator Antônio Grassi é o diretor-executivo do Instituto Inhotim

Ator Antônio Grassi, 59 anos, é o diretor-executivo do Instituto Inhotim

Até 2015, o museu e jardim botânico de crescente reputação internacional terá a sua primeira sala de espetáculos. Quer dizer, sala é modo de dizer. O espaço a ser erguido nas imediações do parque, com o palco construído dentro de um lago, condiz com a proposta de transversalidade do Inhotim. Ali dentro todas as artes podem – e devem – conversar.

“É um lugar em que você pode ter espaço para concertos, música, dança e ópera. Tem um palco que possibilita isso tudo e, ao mesmo tempo, é um espaço para que o público possa fazer piquenique”, detalha Antônio Grassi, atual diretor- executivo do centro de arte contemporânea erguido em Brumadinho. De acordo com o projeto, apenas o palco será coberto. O público ficará no gramado, em meio às árvores, numa área que poderá comportar de 1,5 a 15 mil pessoas. A entrada será tanto pelo parque, em ações integradas com as outras artes, quanto por uma passagem independente. Até sua inauguração, será construído um novo acesso ao local e área para estacionamento.

Mineiro de Belo Horizonte, desde 1980 Antônio Grassi vive fora de Minas Gerais. Em julho, decidiu deixar a Presidência da Fundação Nacional das Artes (Funarte), para entrar de cabeça no sedutor projeto de pensar, articular e realizar ações e propostas para incrementar as potencialidades do Inhotim em outras áreas, para além das artes plásticas e da botânica. “Ao chegar, a gente vê que tem muita coisa para trabalhar pela frente”, comenta. Clique aqui para ler mais.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

monica minelli 27 de outubro de 2013 - 20:49

Estou louca para conhecer INHOTIM !!!!!
Quem já esteve lá me disse que é de tirar o fôlego,,,,

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais