Jane Fonda é uma idosa que vai morar com amigos

Por Maya Santana

Jane Fonda e Geraldine Chaplin, ambas com mais de 70, ótimas no filme

A comédia francesa “E se Vivêssemos Todos Juntos?” é capaz de fugir de uma armadilha que ela mesma arma: retratar um grupo de amigos na faixa dos 60 anos. Poderia muito facilmente cair no olhar piedoso, ou então montar uma história com uma lição de moral. Mas o longa de Stéphane Robelin, que também assina o roteiro, evita facilidades nesse retrato agridoce que constrói dos personagens.

É bem aos poucos que o filme revela o passado de cada um e, mesmo assim, apenas o essencial. Os protagonistas são vistos no presente: pessoas tentando tocar a vida, apesar das dificuldades.

Amigos há 40 anos, eles resolvem dividir uma mesma casa

Jeanne (Jane Fonda) é uma norte-americana vivendo na França desde a adolescência, que foi professora de filosofia e cuida do marido Albert (Pierre Richard), cuja mente está se deteriorando. Ela também tem um problema de saúde, embora repita sempre que está tudo bem.

Annie (Geraldine Chaplin) e Jean (Guy Bedos) mantêm igualmente um casamento estável, e continuam bem apaixonados um pelo outro. O que levará os dois casais a morarem juntos será o amigo Claude (Claude Rich), ex-fotógrafo que, por ter dificuldades para cuidar de si mesmo, foi internado numa clínica pelo filho, Bernard (Bernard Malaka).

Por mais que sejam todos amigos e pertençam a uma geração que, décadas atrás, vivia em comunidades hippies, dividir um mesmo teto não se mostra nada fácil, pois é nesse momento que as diferenças afloram. Pior do que isso são os segredos do passado. Leia mais em www.uol.com.br


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

toninho reis 13 de outubro de 2012 - 13:42

Fantastique!!!!!!!!!!!!!!!

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais