fbpx

Marlon Brando completaria nesta quinta 90 anos

Por Maya Santana

 Símbolo de um tempo, ele morreu em abril de 2004

Símbolo de um tempo, ele morreu em julho de 2004

Marlon Brando faria nesta quinta-feira, 3 de abril, 90 anos. E está sendo celebrado mundo afora. Considerado um dos mais importantes atores americanos de todos os tempos, ele foi um dos três únicos atores profissionais, juntamente com Charlie Chaplin e Marilyn Monroe, a fazer parte da lista das 100 pessoas mais importantes do século 20 compilada pela revista Time, em 1999. Marlon Brando, símbolo de virilidade, tornou-se um mito.

Leia o artigo de Ubiratan Brasil para o Estadão:

Com seu magnetismo visceral e um estilo moderno de interpretar, o ator e diretor Marlon Brando impôs um padrão de comportamento que influenciou uma geração de atores. Também fora da tela, o ator teve uma série de atitudes polêmicas, indiferente dos riscos que isso poderia causar à sua carreira. Brandon completaria 90 anos neste 3 de abril – ele morreu em julho de 2004, de causas desconhecidas, aos 80 anos.

Foi assim, por exemplo, em 1972, quando sua interpretação como Vito Corleone, o patriarca de um clã mafioso em O Poderoso Chefão, rendeu-lhe uma indicação para o Oscar. Brando já ganhara uma estatueta, em 1954, por Sindicato de Ladrões, e sua vitória era dada como certa. Genioso, compusera um tipo especial para o personagem, utilizando enchimento de algodão entre as bochechas para, além de ressaltá-las, modificar a pronúncia de sua voz.

Como era esperado, Brando foi aclamado vencedor na noite da entrega, mas o ator não estava lá para receber o prêmio. Em seu lugar, subiu ao palco uma índia dizendo-se sua representante, que fez um discurso contra a maneira como o cinema americano retratava os índios. Suspeitou-se depois que era uma desconhecida atriz, chamada Sacheen Littlefeather – era o auge de mais uma investida de Brando em polêmicas campanhas políticas.

As discussões sempre o atraíram, fazendo o possível para realizar seus planos. Antes de encenar Vito Corleone, por exemplo, Marlon Brando autoconvidou-se para trabalhar com o diretor Gillo Pontecorvo ao afirmar que só filmaria na Europa se você sob sua direção. O ator maravilhava-se com as questões sociais e políticas tratadas por Pontecorvo em A Batalha de Argel. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe seu comentário

2 Comentários

Avatar
Maria Claudia Freitas 16 de outubro de 2015 - 01:28

um ator fantástico e um dos homens mais lindos que já existiu!

Responder
Avatar
ana maria 3 de abril de 2014 - 23:56

Um tesão de homem!

Responder