fbpx

Michelle Obama celebra seus 50 anos com polêmica

Por Maya Santana

46ª primeira dama dos Estados Unidos, ela tem luz própria

46ª primeira dama dos Estados Unidos, ela tem luz própria

Maya Santana

Dias depois de os convidados terem recebido o convite para participar da festa do aniversário de 50 anos de Michelle Obama, na Casa Branca, em Washington, no próximo sábado, dia 18, ainda há muita conversa sobre o fato de a primeira dama americana ter solicitado aos convivas para comerem “antes de chegar”. Michelle ganhou elogios pela decisão. Mas também está sendo criticada. Os críticos dizem que isso é uma mostra da falta de sofisticação dos Obama.

Dançando com o marido, um de seus divertimentos preferidos

Dançando com o marido, um de seus divertimentos preferidos

Da minha parte, acho que ela está certíssima ao respeitar os americanos e não farrear com dinheiro público, como gostam tanto de fazer certos políticos brasileiros. A primeira dama quer saudar a chegada dos 50 com “Snacks & Sips & Dancing & Dessert” – canapés, bebidinhas, dança e sobremesa – e pede aos convidados que levem sapatos confortáveis, para dançar. É uma quebra do protocolo, bem de acordo com a simplicidade que ela tenta imprimir à sua posição de mulher do homem mais poderoso do mundo.

Com as filhas adolescentes: Malia, 15 anos, e Natasha, 12 anos

Com as filhas adolescentes: Malia, 15 anos, e Natasha, 12 anos

Michelle nasceu e cresceu em um bairro pobre da cidade de Chicago. Muito inteligente, estudou com afinco, especializando-se em Direito em duas importantes universidades americanas, a de Princeton e de Harvard. Depois de formada, voltou para Chicago e começou a trabalhar no escritório de advocacia Sidley Austin, onde conheceu o futuro marido e presidente (democrata) do país, Barak Obama, com quem tem duas filhas: Malia, 15 anos, e Natasha, 12.

Muitas vezes, a imprensa americana se refere a Michelle como uma “supermulher”. Ela vai completar meio século de vida com 63% de aprovação dos americanos. Em junho, apareceu em quarto lugar na lista da revista Forbes das 100 mulheres mais poderosas do mundo, atrás apenas da chanceler alemã Angela Merkel; da presidente Dilma Rousseff e da empresária e filantropa Melinda Gates, casada com Bill Gates, o mais rico do planeta.

Capa da revista Vogue pela segunda vez, edição  de maio de 2013

Capa de Vogue pela segunda vez, edição de maio de 2013

Michelle vai passar para a história – quando deixar a Casa Branca terá 53 anos – não só como a primeira primeira-dama negra do país e mãe exemplar, mas por sua persistente luta para tornar os americanos mais saudáveis  –  fez da redução do número de obesos nos EUA quase uma missão –  através de uma alimentação melhor e da prática de exercícios físicos. Com certeza, será lembrada também pelo carisma, pela elegância com seus 1m80cm e, talvez mais que todas as outras primeiras-damas – à exceção de Hilary Clinton -, por ter luz própria.

Leia também: Michelle Obama, peça-chave na vitória de Barak.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

17 − treze =

3 Comentários

Avatar
Toninho Reis 14 de janeiro de 2014 - 15:17

Digo para quem gosta…

Responder
Avatar
Toninho Reis 14 de janeiro de 2014 - 15:15

Excelente matéria. um grande exemplo. espero que sirva de exemplo para gosta de aparecer a custa dos outros…..

Responder
Avatar
Dalma esquifini 13 de janeiro de 2014 - 23:12

Amiga,você já disse tudo.
A única primeira dama que o Brasil teve que deixou saudade,foi D.Ruth Cardoso.
abraços,Dalma.

Responder