fbpx

Mo Yan é o 2° chinês a ganhar o Nobel de Literatura

Por Maya Santana

Ele junta “junta folclore, história e a contemporaneidade”

Vencedor do prêmio Nobel de Literatura 2012, o escritor chinês Mo Yan, que, na verdade, se chama Guan Moye, passou a usar seu pseudônimo (“Não Fale”, em mandarim) a partir da publicação de seu primeiro livro.

Mo, que se fez adulto durante a revolução cultural chinesa, quando o afã intelectual se transformou em algo suspeito, explica que escolheu seu pseudônimo porque tinha fama de ser muito direto ao falar e, ao adotar essa nova identidade, poderia se lembrar facilmente que não devia falar demais.

Autor tem apenas este livro traduzido para o português, de Portugal

Outros escritores, como o também chinês Ma Jian, criticam Mo precisamente por não ter defendido outros autores e intelectuais que se viram perseguidos durante a revolução cultural chinesa.

Mas, por outro lado, Mo possui uma enorme fama em seu país, além de ser um dos autores chineses mais conhecidos e traduzidos. No entanto, mesmo com todo reconhecimento dentro de seu país, o escritor também já foi vítima de censura algumas ocasiões.

Por causa de seu romance Fengru Feitun (Peitos Grandes e Quadris Largos, em livre tradução), que foi lançado em 1995 e causou uma grande polêmica na China por seu conteúdo sexual, o Exército chinês obrigou o escritor a fazer uma autocrítica, enquanto o livro foi retirado de circulação.Leia mais em www.estadao.com.br

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

três × cinco =