Moda perde Oscar dela Renta, um de seus ícones

Por Maya Santana
Oscar desenhou o vestido de Amal, mulher de George Clooney

Oscar desenhou o vestido de Amal, mulher de George Clooney

A moda internacional perde um de seus maiores nomes, Oscar dela Renta, criador do vestido de noiva mais falado do ano, da advogada Amal Allamudin, que se casou recentemente com o ator George Clooney. O estilista, nascido em Santo Domingo, capital da República Dominicana, vestiu várias primeiras damas americanas, inclusive Jacqueline Kennedy kennedy, e as maiores estrelas de Hollywood.

Leia o artigo do blog de Gloria Kalil:

Oscar de la Renta morreu aos 82 anos na noite desta segunda-feira (20.10), em Connecticut, depois de uma longa batalha contra um câncer, diagnosticado há oito anos. Ícone máximo da moda clássica dos EUA, de la Renta anunciou uma discreta aposentadoria no começo de outubro, logo depois de assinar o vestido de noiva de Amal Alamuddin no casamento com George Clooney.

Jacqueline Kennedy, uma de suas clientes

Jacqueline Kennedy

Prestes a completar 50 anos à frente da sua marca, o estilista dominicano abriria espaço para Peter Copping, inglês recém-saído da Nina Ricci, enquanto assumiria apenas um papel de “supervisão”. Segundo o último anúncio da empresa, Copping passa a trabalhar como diretor criativo da Oscar de la Renta a partir de 3 de novembro – lançando sua primeira coleção em 2015. Ainda não há notícias se, com a morte do patrono, a casa vai fazer alterações no planejamento. Gentleman da moda norte-americana, de la Renta nasceu em Santo Domingo, na República Dominicana, em 1932, em uma família de aristocratas locais. Aos 18, mudou-se para a Espanha afim de estudar pintura. Seu histórico de moda começa em Madri, quando o interesse pelo assunto o leva a trabalhar diretamente com Cristóbal Balenciaga – tido por Oscar como seu grande mestre na arte da costura clássica.

Na sequência, em Paris, acabaria trabalhando como pupilo de Antonio del Castillo, então à frente da Lanvin. Com a ajuda de Diana Vreeland, na época comandante máxima da Vogue, Oscar muda-se para Nova York em 1963 para trabalhar com Elizabeth Arden – lançando sua própria marca dois anos depois. Entre 1993 e 2002, também ajudaria a ressuscitar a alta-costura da francesa Balmain. Foi logo a partir de 1965 que de la Renta ganharia ingresso rápido às altas rodas dos EUA. Com marca própria nas mãos e uma possível ajuda de Françoise de Langlade, editora da Vogue com quem se casou em 1967, sua alfaiataria discreta e vestidos de festa extravagantes ganhariam legiões de fãs entre as celebridades da velha-guarda – socialites e aristocratas, as velhas damas de então que eram chamadas de “Ladies Who Lunch”: aquelas que tinham tempo e dinheiro (e maridos ricos) para longos almoços em dias de semana e encontros beneficentes.

O estilista morreu aos 82 anos, em consequência de um câncer

O estilista morreu aos 82 anos, em consequência de um câncer

Mas também na política o estilista – que se naturalizaria americano em 1971 – tinha entrada forte. Sua marca começou a ganhar peso quando entrou no guarda-roupa de Jackeline Kennedy, ainda nos primeiros anos. Depois, Oscar foi adotado pela maior parte das primeiras-damas do país, democratas ou republicanas, incluindo Hilary Clinton, Nancy Reagan e Barbara e Laura Bush. Clique aqui para ler mais.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

Antonio f reis 21 de outubro de 2014 - 23:18

Perdemos mais um que nos mostrou algo de classe , bom gosto e beleza… que descanse nas nuvens do univerco…………………..

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais