Morre a feminista pioneira Rose Marie Muraro

Por Maya Santana
A jornalista e escritora morreu no Rio, aos 83 anos de idade

A feminista e escritora morreu no Rio, aos 83 anos de idade

Tomei conhecimento da morte de Rose Marie Muraro pela televisão. Imediatamente, vim para o computador prestar a minha pequena homenagem a ela, pioneira na luta pelos direitos das mulheres no Brasil.  Morreu em um  hospital do Rio, aos 83 anos. Seu velório, neste domingo, será aberto ao público.

Leia o artigo publicado por O Globo:

Morreu neste sábado (21), no Rio de Janeiro, a escritora e feminista Rose Marie Muraro, aos 83 anos. De acordo com a filha, Tonia Muraro, ela tinha câncer na medula óssea há 10 anos e, desde o dia 15 de junho, estava internada no CTI do Hospital São Lucas, em Copacabana. Ela teve complicações após um tratamento de quimioterapia.

Rose Marie Muraro foi uma das pioneiras do movimento feminista no Brasil entre a década de 70 e 80. Foram mais de sessenta anos de dedicação e luta nas conquistas pelos direitos das mulheres. Ela é autora de mais de 40 livros e também atuou como editora em 1600 títulos, quando foi diretora da Editora Vozes, ao lado do teólogo e escritor Leonardo Boff. Os dois trabalharam juntos por 17 anos. Ao lado de Boff, ela também lutou pela teologia da libertação.

Leia também:
Rose Marie Muraro pede ajuda aos amigos para continuar produzindo

Formada em física e economia, ela também trabalhou na Editora Rosa dos Tempos. Em 2009,  inaugurou o Instituto Cultural Rose Marie Muraro onde trabalhava até a piora do estado de saúde.

O velório da escritora está marcado para às 8h deste domingo (22), no Memorial do Carmo, no Caju, Zona Portuária do Rio. O corpo será cremado às 16h em uma cerimônia para a família.

Emocionada, a filha da escritora disse que a mãe tinha o sonho de construir um mundo mais solidário e lutou por isso. ” A partir dos seus livros, muitos deles com Leonardo Boff, ela ofereceu essa condições mas a gente ainda tem uma grande luta pela frente”, disse. Rose Marie tinha cinco filhos, 12 netos e quatro bisnetos.

Em uma rede social, a presidente Dilma Rousseff lamentou a notícia. “Foi com tristeza que soube da morte de Rose Marie Muraro, ícone da luta pelos direitos das mulheres. Intelectual notável, Rose Marie foi uma mulher determinada em tudo, na luta contra a barreira da cegueira, na luta pelas suas ideias. Somos todas gratas à dedicação incansável de Rose Marie”, escreveu. Também em rede social, o  Instituto Rose Marie Muraro postou um poema inédito da escritora com o título “O Pássaro de Fogo”. Leia abaixo o poema.

O Pássaro de Fogo

Tu vieste como um pássaro
E pousaste no meu ombro
E eu fui habitada
Pela paixão da entrega.

Eu te amei antes que tu existisses
Como o deserto que tem sede de água
E as flores tem sede da luz
E te amei como a pedra ama a terra
Que lhe dá sua força.

Com teu bico colocaste na minha mão esquerda
A semente da morte
E na direita a semente da vida
Para que com as duas juntas
Eu fizesse a escolha de cada momento
Ligando o instante à sua profundidade eterna.

Pássaro de fogo
Capaz de queimar sem consumir
Estás dentro de mim.

Pássaro de fogo
Irei onde tuas asas me conduzirem
E meu caminho se tornou incandescente
Como teus olhos.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

lisa santana 21 de junho de 2014 - 23:48

Já se vai uma grande mulher. Na década de 80, juntamente com Simone de Beauvoir, Rose Marie Muraro fazia coro na minha cabeça, com questionamentos que guiaram e elucidaram minhas muitas dúvidas sobre o papel da mulher na nossa sociedade. Que ela tenha seu merecido descanso!

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais