fbpx

Mundo pode ter "maremoto" de casos de câncer

Por Maya Santana

O câncer de mama é um dos mais comuns entre as mulheres

Alerta é da Organização Mundial da Saúde e o câncer de mama é um dos mais comuns


Sempre que visito a minha ginecologista, a maravilhosa Dra. Alba Sizenando, a conversa acaba resvalando para o aumento da incidência de casos de câncer no mundo. Dra. Alba acha que, além do tabagismo, da obesidade e do alcoolismo, que facilitam a chegada da doença,há o fato de as pessoas estarem vivendo mais e também o quanto todos nós estamos nos expondo à radiação, seja da televisão, do computador, do telefone celular. Agora, vem este estudo da Organização Mundial de Saúde alertando para uma onda de novos casos de câncer nos próximos anos, caso não se dê total atenção à prevenção.
Leia o artigo da BBC Brasil:
A Organização Mundial da Saúde (OMS) advertiu nesta terça-feira que o mundo corre o risco de enfrentar um “maremoto” de casos de câncer nos próximos anos, e os gastos com o tratamento da doença estão ficando descontrolados em todo o mundo.
Segundo o alerta da entidade, feito no Dia Mundial do Câncer, o número de casos da doença deve chegar a 24 milhões até 2035, mas metade deles pode ser prevenido. Para tanto, existe uma “necessidade real” de ampliar os esforços preventivos, combatendo tabagismo, a obesidade e o alcoolismo.

No Brasil, um levantamento divulgado pelo Ministério da Saúde no ano passado indica que haverá 576.580 casos diagnosticados apenas neste ano. O relatório prevê que os tipos com maior incidência serão o câncer de pele, de próstata e de mama. Um estudo divulgado em 2013 no periódico Lancet Oncology, previa um aumento de 38,1% nos casos de câncer no país ao longo desta década, passado de 366 mil casos em 2009 para mais de 500 mil em 2020.
No mundo, estima-se que 14 milhões de pessoas sejam diagnosticadas todos os anos com câncer, segundo a OMS. A previsão é de que esse número aumente para 19 milhões em 2025 e 24 milhões em 2035, com os países emergentes concentrando os novos casos.
Em seu Relatório Mundial do Câncer 2014, a OMS diz que além da combinação de obesidade e sedentarismo, do álcool e do fumo, outros fatores associados ao câncer que poderiam ser prevenidos são: A radiação (solar e de scanners médicos); A poluição atmosférica; Poluição atmosférica e outros fatores ambientais; Adiar a gravidez para quando as mulheres têm mais idade, ter menos filhos e não amamentar.
Para Chris Wild, diretor da agência internacional da OMS para a pesquisa sobre o câncer, disse que o “fardo global do câncer está se tornando mais pesado e mais evidente, principalmente devido ao envelhecimento e crescimento da população”. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais