No fim do ano, números que dão o que pensar

Por Maya Santana
Foram 222 mortos nas estradas federais no feriado prolongado de  Natal

Foram 222 mortos nas estradas federais no feriado prolongado de Natal

Dois números me impressionaram neste final/início de ano:   o aumento de 37,8% dos mortos em acidentes em rodovias federais durante o feriado prolongado de Natal – 222 pessoas perderam a vida em 3.027 acidentes registrados em todo o território nacional. Quase duas mil outras  -1.942 – ficaram  feridas. É muita coisa, principalmente se levarmos em conta que muitos têm ferimentos graves, com possibilidade de vir a morrer ou ficar  com sequelas para o resto da vida.

O segundo número foi o peso da sujeira deixada pelos mais de 2 milhões de turistas nas praias no Rio de Janeiro na noite de reveillon, sobretudo, na praia de Copacabana, onde uma multidão se aglomerou para ver a famosa queima de fogos e os show musicais:  nada menos do que 8OO toneladas – ou 8OO mil quilos – de lixo repousavam na areia no dia seguinte ,  fazendo com que dezenas de garis horas  para recolher tudo: sacos plásticos, garrafas, copos,  embalagens de papelão,  côco da Bahia, baganas de cigarro… todo tipo de porcaria.

A praia ficou assim em frente ao Copacabana Palace

A praia ficou assim, sujeira pra todo lado, em frente ao Copacabana Palace

O total de pessoas que veio ao Rio para a passagem do ano aumentou, aumentando também a sujeira em 20%   em relação a 2011. Desde muito cedo, no dia 31,  milhares de turistas já zanzavam pelas praias. Como o Rio é sinônimo de fornalha neste verão, as areias viraram  grandes formigueiros. E o lixo produzido por toda essa gente ficou lá. Fiscais da  prefeitura tiveram trabalho para retirar gente que insistia em acampar em local proibido. Mais de 500 barracas foram desmontadas.

O balanço final mostra que o  comportamento displicente  visto nas praias foi repetido por muita gente ao volante.  O grande  número de mortos no final de ano se deveu também à gravidade das colisões, em geral,  provocadas por  ultrapassagens mal feitas, que resultaram em batidas de frente.

Durante o feriado do Natal, 25.082 motoristas passaram pelo “bafômetro” nas rodovias federais –  855 foram reprovados e pagarão a multa já com o novo valor, de R$ 1.915,40. Destes, 393 foram presos em flagrante por crime de trânsito –  ultrapassaram o índice de 0,30mg de álcool por litro de ar assoprado ou por apresentarem sintomas de embriaguez e se recusarem a realizar o teste.

Será até quando, depois de todo feriado prolongado, vamos contar tantos mortos nas estradas?


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais