fbpx

No inverno, o rosto precisa ser melhor hidratado

Por Maya Santana

A pele do rosto é a que mais sente a chegada do tempo frio e seco

A pele do rosto é a que mais sente a chegada do tempo frio e seco

O inverno acaba de chegar e só vai embora em setembro, com a entrada da primavera. Enquanto durarem as temperaturas mais baixas e o clima seco próprios da estação é preciso tomar uma série de cuidados com a pele. Principalmente a do rosto, que é a parte do corpo que sofre o maior impacto das mudanças no clima.

Sobre isso, leia o artigo publicado pelo portal Uai:

A pele do rosto é a que mais sente a chegada do inverno. Como está totalmente exposta às condições climáticas, ela fica desidratada diante da queda de temperatura, baixa umidade do ar e vento. Diminuir a temperatura da água do banho, manter uma alimentação balanceada e usar hidratantes são algumas das maneiras de impedir ressecamento e descamação.

Banho quente e demorado é ruim

Banho quente e demorado é ruim

A pele tem a função de manter a temperatura interna ideal para o nosso corpo, que é de 36,5 graus centígrados. No inverno, quando a temperatura externa diminui, o órgão gasta mais energia e o desgaste reflete em sua aparência. Além disso, o clima seco e frio prejudica a produção do protetor natural, que tem o poder de reter a umidade na superfície. “O manto hidrolipídico é o maior creme hidratante do mundo, formado pela mistura da gordura produzida pelas glândulas sebáceas com o suor originário das glândulas sudoríparas. No inverno, temos que ajudar a pele do rosto a repor sua proteção natural”, explica a engenheira química com especialização em cosmetologia, Sonia Corazza, consultora da marca Artistry no Brasil.

O quadro de desidratação se agrava ainda mais no inverno por causa dos banhos demorados e em altas temperaturas. Segundo a dermatologista Dayse D’Ávila, a água quente dilui a gordura da pele do rosto, diminuindo a oleosidade e os ventos também contribuem para reduzir a umidade porque facilitam a evaporação da água. “No frio, a tendência é não sentir muita sede, mas o metabolismo funciona do mesmo jeito. Por isso precisamos estar atentos para tomar até dois litros de água por dia”, alerta. Diminuir a temperatura da água do chuveiro ou tomar banho o mais rápido possível, abandonar sabonetes (que funcionam como detergentes, removendo ainda mais a oleosidade), e aumentar o uso de hidratantes também ajudam a manter a pele do rosto hidratada nesta época do ano.

A cosmetóloga da Artistry orienta escolher hidratantes que tenham composição parecida com as substâncias encontradas naturalmente na pele. Para repor a gordura, água e sais mineiras presentes no manto hidrolipídico, a dica é usar fórmulas com óleos, manteigas e extratos vegetais. Os aminoácidos, especialmente os peptídeos, também são indicados porque fortalecem a pele. “Entre os extratos botânicos, indico o de murta, que age prolongando a vitalidade da pele e aumentando a hidratação. Outro extrato que fortalece a função barreira da pele é de um fruto africano chamado baobá, um hidrante de longa duração”, exemplifica Sonia. Os produtos para o inverno ainda devem conter substâncias antioxidantes, como groselha negra e acerola verde, evitando a formação de radicais livres, moléculas que aceleram o envelhecimento da pele, processo mais comum de ocorrer em uma pele mais vulnerável com o frio. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

um + treze =