fbpx

Nosso Chico Buarque chega aos 70 anos de vida

Por Maya Santana

O cantor torna-se um setentão na próxima quinta-feira, dia 19

O cantor torna-se um setentão na próxima quinta-feira, dia 19

Todos os meios de comunicação brasileiros estão dedicando um bom espaço para falar dos 70 anos de vida que Chico Buarque vai completar nesta quinta-feira, dia 19. Não é para menos. Chico é o que temos de melhor, em todos os sentidos. Não consigo falar dele com isenção, porque nutro a mais profunda admiração pela obra que construiu ao longo dessas décadas todas. E por ele próprio. Houve uma época em que eu sabia a letra de todas as as músicas que ele escrevia. No cursinho pré-vestibular, a minha professora de português usava as letras dele como exemplo do uso e pontuação corretos do português. Amo tudo que ele fez e faz.

Depois dessa declaração de amor, convido você a ler esse ótimo artigo de Maria Clara Brant para o portal Uai:

O escritor e cartunista Millôr Fernandes o chamou de “a única unanimidade nacional”. O cronista Rubem Braga chegou a afirmar que “ele era a coisa mais importante em matéria de música popular”. Tom Jobim encheu a boca para dizer que o amigo era um “herói nacional, salvação do Brasil, mestre da língua. Tanta coisa que nem cabe aqui”. Já a Estação Primeira de Mangueira, sua escola do coração e que o homenageou com um belo desfile na Marquês de Sapucaí, cantou em verso e prosa no seu samba antológico: “É o Chico das artes… o gênio. Poeta Buarque… Boêmio. A vida no palco, teatro e cinema. Malandro, sambista, carioca da gema”.

Quando a pianista Maria Amélia Cesário Alvim, a Memélia, deu à luz, em 19 de junho de 1944, na maternidade São Sebastião, no Largo do Machado, no Rio de Janeiro, Francisco Buarque de Holanda, o quarto dos seus sete filhos com o historiador Sérgio Buarque de Hollanda, não imaginaria que aquele bebê de olhos verdes iria se tornar essa unanimidade propagada por Millôr, o poeta-gênio da verde-rosa ou o herói de Tom.

Chico Buarque, que completa 70 anos na quinta-feira e, segundo sua assessoria, vai passar o aniversário em Paris, escrevendo seu próximo livro, construiu uma trajetória que passa pela música, pelo teatro, pelo cinema, pela literatura e pela história do Brasil.

O compositor e produtor musical Hermínio Bello de Carvalho, que chegou a ser parceiro de Chico na música ‘Chão de esmeraldas’, conta que nutre grande respeito pelo artista carioca. Ele acrescenta que tem uma admiração por muitos poetas-letristas, mas a que sente por Chico o coloca num lugar privilegiadíssimo. “Quando ouço esse verso (“Teus seios ainda estão em minhas mãos”), me arrepio. Queria tê-lo feito. Mas já me basta o consolo de tê-lo como melodista de uns versos que escrevi, o ‘Chão de esmeraldas’. Parceiro! Isso me basta. Que todos os orixás o protejam, meu Chico tão amado. Já passei dos 70 há quase 10 anos. Tirei de letra”, frisa.

Autor de ‘Chico Buarque – Tantas palavras’, extensa reportagem biográfica sobre o cantor e compositor, o jornalista e escritor mineiro Humberto Werneck revela que o processo de elaboração da obra foi muito interessante e que ela chegou a ter várias edições (a primeira foi em 1989). Werneck entrevistou Chico por diversas ocasiões, além de várias pessoas ligadas a ele. “Foi uma experiência ótima, porque ele enriqueceu meu texto, nunca se opôs a nada e sempre acrescentava algum detalhe. Foi uma bela parceria”, recorda.

O jornalista mineiro ressalta os novos caminhos assumidos pelo artista. Na adolescência, o compositor de ‘Construção’ queria ser escritor, o que, na maturidade, acabou se realizando. Humberto Werneck observa como Chico Buarque concilia com propriedade as duas atividades. “Quando ele resolve escrever, só escreve. E quando resolve fazer música, ele só faz música. Brinco que o Chico é um monogâmico em série. E mesmo sendo um estupendo letrista, é um cara que não se acha. Ele vai humilde e obstinadamente dando o seu recado”, defende. Clique aqui para ler mais.

Veja que linda essa parceria de Chico com a namorada Thaís Gulin, no CD “Chico”, lançado em 2011:

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

três + dezoito =

2 Comentários

Avatar
Maria 19 de junho de 2014 - 15:26

Chico, nome pequeno para um poeta de grande valor ! As suas obras em musica, teatro e participação na história de luta, nos tempos bravos da ditadura ! Canções de protestos onde o humor e a poesia encanta ate hoje todas as gerações ! Geração de jovens sonhadores e bravos guerreiros ! Vc é querido por todos nós que somos fãs e admiradores da boa musica e belos poemas ! PARABÉNS FRANCISCO “CHICO” BUARQUE DE HOLANDA ! Sucesso e muita vida e saúde ao jovem POETA brasileiro !

Responder
Avatar
Antonio f reis 16 de junho de 2014 - 13:57

Love It……. bjs

Responder