Hotel mais famoso do Brasil comemora 90 anos

Por Maya Santana
O hotel, inaugurado em 1923, foi construído e mantido até 1989 pela família Guinle

Inaugurado em 1923, foi construído e mantido até 1989 pela família Guinle

O hotel mais famoso do Brasil, Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, completa nesta quarta-feira 90 anos. Sinônimo de luxo e sofisticação, reforçados pela beleza natural da praia de Copacabana, o hotel viu passar por suas dependências desde a inauguração, em 1923, uma lista infindável de famosos de todas as partes do globo. Enfrentou tempos difíceis, entrou em decadência e chegou a ser ameaçado de fechamento até que foi comprado pelo grupo inglês Orient-Express, em 1989. Leia o artigo do IG sobre as nove décadas deste símbolo do Rio de Janeiro:

Ella Fitzgerald e Louis Armstrong já cantaram em seus salões. Janis Joplin nadou pelada em sua piscina. Bono Vox conduziu um coral de fãs cantando à capela de uma de suas sacadas. E Rod Stewart destruiu parcialmente um de suas suítes presidenciais ao fazer do espaço um campo de futebol. Com uma lista de hóspedes e histórias compatíveis à de poucos   hotéis de luxo no mundo, o Copacabana Palace prepara-se para inaugurar a última década de seu primeiro centenário com festa.

Programado para hoje, o evento para 600 convidados terá cenografia de cabaré – relembrando o clima vivido na época de inauguração do hotel –, apresentação de Claudio Botelho, Totia Meirelles e Alessandra Maestrini, e menu assinado por quatro chefs de renome internacional. Um acontecimento a altura do sonho do então presidente da República Epitácio Pessoa, que no início da década de 1920 queria um lugar de padrão internacional no Rio de Janeiro para hospedar autoridades e  turistas mais sofisticados.

Quando foi construído havia muito poucas construções ao seu redor

Quando foi erguido havia muito poucas construções ao seu redor

Com projeto de arquitetura assinado pelo francês Joseph Guire e com investimento do empresário Octávio Guinle, nascia em 1923 o Copacabana Palace. Inspirado nos  grandes hotéis da Riviera Francesa , como o Negresco e o Carlton, o Copa passou, ao longo de seus 90 anos, por apenas duas grandes reformas, sendo a mais recente no segundo semestre de 2012. Nela, o lobby principal com porta giratória de madeira freijó e escadaria de mármore foi expandido, 96 dos 225 apartamentos foram remodelados e toda a estrutura foi adaptada em relação à tecnologia e acessibilidade. Num investimento de cerca de R$ 30 milhões feito pelo  grupo Orient-Express , responsável pelo empreendimento desde 1989, quando o hotel foi vendido pela família Guinle, após passar por uma década de decadência.

Hoje, com o brilho recuperado e o prédio principal tombado pelo Patrimônio Histórico, o hotel que já recebeu da princesa Diane, Evita Perón e Nelson Mandela a Edith Piaf, Brigitte Bardot, Clark Gable e Elton John, tem diárias a partir de R$ 1.250. O que pode chegar a mais de R$ 10 mil no Reveillon. Valores que dão direito à vista para a praia de Copacabana e/ou para a icônica piscina semiolímpica onde já nadou Carmen Miranda e Tom Cruise, ao menu de travesseiros, à quadra de tênis e ao spa. Quem estiver hospedado nas suítes do sexto andar ainda tem direito a uma piscina exclusiva.

Abertos ao público, os dois restaurantes do Copa – Cipriani e Pérgula – também trazem novidades para celebrar a data. Enquanto o primeiro, um dos mais sofisticados do Rio, estreia o menu executivo, o segundo resgata, em setembro, alguns clássicos que marcaram a cozinha do hotel. No cardápio, de cascata de camarão e remoulade de lagosta a ovos nevados com creme inglês e banana flambada. Tudo para servir de desculpa para um brinde.

Assista à ótima reportagem feita pela jornalista Joana Calmon para a Globonews:


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais