fbpx

Motivos que fazem as mulheres viverem mais do que os homens

Por Maya Santana
A diferença na longevidade de mulheres e homens se manteve estável ao longo dos séculos

A diferença na longevidade de mulheres e homens se manteve estável ao longo dos séculos

David Robson, BBC

Assim que eu nasci, já estava predestinado a morrer mais cedo do que metade dos bebês na maternidade – uma espécie de maldição que eu praticamente não posso evitar. O motivo? O simples fato de ser homem. Só por isso, minha expectativa de vida é três anos menor do que a de uma mulher nascida no mesmo dia.

Mas por que isso acontece? E será que é possível quebrar essa maldição?

Apesar de essa informação não ser novidade e estar há décadas desafiando médicos e cientistas, só recentemente eles têm conseguido obter algumas respostas.

Uma das primeiras teorias era a de que os homens viviam uma vida fisicamente mais extenuante e o corpo acabava cobrando o preço disso mais tarde. Mas se isso fosse verdade, hoje em dia a diferença na longevidade deveria ter caído, já que a maioria dos homens e das mulheres realiza os mesmos tipos de trabalho, muitas vezes sedentário.

Só que a diferença na expectativa de vida entre os sexos se manteve estável apesar das profundas transformações sociais dos últimos séculos. Tomemos o exemplo da Suécia: em 1800, a expectativa de vida no nascimento era de 33 anos para as mulheres e 31 anos para os homens; hoje, esses valores são 83,5 anos para elas e 79,5 anos para eles. Nos dois casos, as mulheres vivem cerca de 5% mais tempo que os homens.

Cientistas da Universidade do Alabama afirmaram, em artigo recente na revista Gerontology, que “essa consistente vantagem de sobrevivência das mulheres em comparação aos homens (…) é observada em todos os países, em todos os anos em que há registros confiáveis de nascimentos e óbitos. É provavelmente o padrão repetitivo mais robusto da biologia humana”.

Também não tem sido fácil para pesquisadores provar que os homens forcem seus corpos mais que as mulheres. Fatores como o fumo, o consumo de bebidas alcoólicas e a alimentação em excesso podem explicar a diferença nas expectativas de vida entre homens e mulheres em cada país. Os homens russos, por exemplo, têm mais chances de morrer 13 anos antes do que suas conterrâneas mulheres, em parte porque bebem e fumam mais.

Mas a verdade é que fêmeas de chimpanzés, gorilas, orangotangos e gibões também viverem mais do que os machos de seus grupos, e nós não os vemos com cigarro na boca e um copo de cerveja na mão.Clique aqui para ler mais.

close

Inscreva-se para receber conteúdo incrível em sua caixa de entrada, todas as semanas

Prometemos que nunca enviaremos spam! Leia nossa Política de privacidade para mais detalhes.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais