Passarinhos!…

Por Maya Santana
Cheguei a tempo de não ver um grande desastre

Cheguei a tempo de não ver um grande desastre

Lisa Santana

Achei triste e feio as penas caídas na minha área de serviço
Por um instante fiquei entre o dó e a consternação
Olhei para os meus gatos que dormiam placidamente
E procurei o sinal da morte certa de uma rolinha-fogo-apagou
Que se bem me lembrava, tinha aquelas cores e brilho nas penas.
Primeiro
Procurei com os olhos sangue e o corpo
Que eu tinha certeza estar inerte em algum lugar.
Nada.
Depois
Corri a arrastar cadeiras, baldes, na certeza de encontrar.
Nada.
Imaginei a luta e a angústia de um pobre passarinho, que desavisado,
Entrara pela janela da cozinha e foi dar de frente com os algozes:
Dois gatos grandes e peludos!
Que lástima!
Não queria ver nada morto.
Passarinhos!…
Mas que alívio! Apesar de procurar, nada encontrei.
Cheguei à janela e vi o azul lindo do céu de outono
O Sol brilhava lá fora.
Respirei.
Cheguei a tempo de não ver um grande desastre.
Que alívio!

Lisa Santana é professora de Artes Cênicas na PUC/MG e poeta


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





3 Comentários

Antonio f reis 1 de setembro de 2014 - 11:01

Sempre gostoso ler suas poesias querida Lisa !!! queremos mais bjs……….

Responder
Déa Januzzi 29 de agosto de 2014 - 18:40

amei, lisa, você é uma poeta, sem dúvida

Responder
Ana 29 de agosto de 2014 - 11:11

linda poesia, linda foto

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais