Passou dos 50 anos? Você tem um projeto de vida?

Por Maya Santana
Cada um de nós é responsável por construir, passo a passo, o nosso projeto de vida

Cada um de nós é responsável por construir o nosso projeto

Mirian Goldenberg, Folha de São Paulo

Tenho conversado com muitos homens de mais de 60 anos. Eles dizem que para experimentar uma velhice feliz só precisam de saúde, amor e dinheiro suficiente para construir uma vida simples e tranquila.

Muitos querem continuar fazendo as coisas que sempre fizeram. Outros optam por fazer uma mudança radical de vida.

A oposição entre as ideias de “obrigação” e de “desejo” é uma chave importante para compreender as suas escolhas nessa fase da vida, como mostrou um engenheiro de 69 anos: “Não trabalho mais para provar o meu valor, trabalho porque tenho tesão no que faço. Estou fazendo um curso de filosofia, viajo, namoro, cuido da casa e aprendo muito sobre a vida com os meus netos. Com tantos projetos para realizar, com tanta coisa para aprender, não tenho tempo para ficar me lamentando da vida. Nunca fui tão feliz. Não consigo me ver como um velho”.

Um professor de 65 anos disse: “Sempre quis ser professor. Amo dar aula e, mesmo podendo me aposentar, continuo ensinando. Recebi convites para fazer outras coisas, mas escolhi fazer o que realmente dá significado à minha vida, mesmo que não ganhe muito dinheiro e que não tenha o reconhecimento que um educador merece ter”.

Para eles, o mais importante é que os seus projetos de vida sejam motivados pela própria vontade, e não pela necessidade de responder às inúmeras demandas sociais e familiares.

Um engenheiro de 73 anos afirmou: “Prefiro mil vezes trabalhar a ficar em casa, enchendo a cara, engordando e vendo televisão. Todo mundo acha que devo parar de trabalhar, que trabalho muito para a minha idade. Mas se eu parar sei que vou ficar deprimido, me sentir inútil, um merda. Tenho um trabalho interessante e uma família ao meu lado, especialmente minha esposa, meus filhos e netos. Quem disse que eu sou um velho?”

Como mostrei no livro “A Bela Velhice”, ter uma velhice com significado não é um caminho apenas para as celebridades. Aprendi com meus pesquisados que para cada indivíduo singular existe um projeto também singular, que só pode ser construído por ele.

Portanto, não é possível imitar os projetos de vida dos outros. Cada um de nós é o único autor e o único responsável por construir, passo a passo, o próprio projeto de vida. Você já descobriu o seu?


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





10 Comentários

Sérgio Fraga 9 de maio de 2018 - 18:19

Eu gostei do seu texto, eu tenho 63 anos e continuo mantendo minhas atividades…. trabalho, estudo e me divirto muito com meus colegas jovens na sala de aula.

Responder
Ilma e Silva 8 de maio de 2018 - 01:40

Fiz 50 anos em março deste ano,dia 11 de maio vai fazer 2 anos que meu marido morreu…. Estou em tratamento de depressão e síndrome do pânico, não tenho filhos e nem parentes no estado aonde moro… Não trabalho e devido ao tratamento ainda não me sinto bem em viajar,ou fazer outra coisa à não ser ficar dentro de casa… mais estou buscando superar todas as coisas pois meu marido era tudo para mim,e sem ele me vi perdida sem um rumo…Sei que terei um longo caminho para percorrer, mais chegarei lá pois minha luta agora é por mim,e tentar vencer meus medos e reaprender à cada dia, a pessoa que estou buscando ser…admiro a capacidade e coragem de estarmos todos numa idade, e mts dessas pessoas estarem plenas em seu vigor e também em suas atividades…. Pois sempre ouvi dizer que o trabalho enobrece o homem,da vida e dá um sentido à vida,ser útil seja de que maneira for… Parabéns ao artigo e realmente mt dos problemas de saúde já poderiam ter tratamento mais eficazes, porém não é o que vemos….Obg pela oportunidade de expressar aqui um pouco de mh história e alguns pontos de vista ao meu ver..

Responder
Rosana 19 de janeiro de 2019 - 00:40

Amanhã completo 50 anos, e estou na melhor fase da minha vida! Com 3 filhos casados e já com 3 netos tmbm. Farei 33 anos de casamento em junho deste ano e meu projeto agora com o maridão é viajar muito se Deus quiser! Quanto à saude, vai bem graças a Deus tmbm, que nos deu uma oportunidade de fazer um tratamento com hemoterapia e ozônioterapia tmbm, resumindo a saúde melhorou muito e a tendência é melhorar ainda mais e não terei gastos com remédios e sim somente com suplementação de vitaminas e minerais. Isso é uma bênção!!

Responder
Maria Luiza Calit 17 de outubro de 2015 - 23:46

Tenho 65 anos, ainda estou na ativa como professora fundamental 1. Não consegui aposentar-me porque fiquei com depressão e é necessário 25 anos dentro da sala de aula para tanto.
Daqui 1 ano e meio, completarei meu tempo. Mas, já tenho projeto. Vou realizar um curso técnico de estética facial. Atenderei meus clientes em sua casa ou seja, Delivery. Assim poderei trabalhar num rítmo mais lento e também ter tempo para curtir a vida, com viagens, passeios, pois tenho meu querido marido, que estamos juntos há 52 anos. E tudo dará certo. Tenho confiança.

Responder
Rosa Regina Compans 17 de outubro de 2015 - 16:11

Gostei da matéria e comentários.
A única coisa ruim para mim ŕ viajar sozinha.
Sou viúva aposenta a 2 anos. Tenho 64 anos.
Parabéns ao grupo.

Responder
Maria 11 de maio de 2018 - 15:09

Tem grupos de mulheres viajantes no face, alem de ter dicas, tem pessoas formando grupos.Boa sorte! Abc

Responder
Lucinda 17 de outubro de 2015 - 15:55

Seria otimo que todas as pessoas na aposentadoria fossem niveladas, mas isso nao acontece por isso tem pessoas que tratam o anos que restam com mais alegria e prazer, mas a maioria mesmo tem que ir a medicos por diversos fatores que so quem envelhesse sabe, gastar o pouco que recebem com medicamentos que ja poderiam ser substituidos pela Ciencia, mas nao e de interesse dos laboratorios e nao progridem. A Vida nao e tao bela assim, vamos tratar da realidade!

Responder
Tania 17 de julho de 2019 - 10:16

A vida é bela sim, tem muitas atrações e diversidade, mas se focarmos somente nos problemas, principalmente de saúde. Quando na vida não tivemos problemas ou situações difíceis de enfrentar? sempre. e apesar disso prosseguimos vivendo ora feliz ora triste, mas fazendo as coisas, vivendo. Porém quando ficamos mais velhos e algumas novas mudanças acontecem e o nosso corpo e rosto não tem mais o vigor dos 30 ficamos chateados a ponto de deprimir, que pra mim é a raiva da perda levada a instância máxima. Isso não parece birra de menino pequeno pequeno. qe chora fica amuado e triste se não consegui alguma coisa? Já passamos muitas coisas e sobrevivemos uns em melhor estado que outros, mas estamos aqui e temos que fazer valer a pena. com um companheiro sem um companheiro, com saude debilitada ou maravilhosa, com ou sem dinheiro, o importanyte é continuar valorizando a própria vida. mesmo um pouco difícil ou meio sem graça vale a pena e nós devemos continuar. Vamos criar novas condições para nossa vida diaria ser mais bela e feliz. Esta em nossas mãos. abraço fraterno

Responder
jose lourenço 21 de julho de 2015 - 07:47

realmente parar de trabalhar e ficar em casa sem fazer nada é duro ;eu não trabalho mais .mas tambem procuro fazer bastante atividade fisica e viajar

Responder
Neli Ferreira de Sousa 20 de julho de 2015 - 23:26

Gostei muito do texto. Tenho 63 anos, aposentada a 3 anos, viuva a 1 ano e meio, sem projetos, sem esperança, me sentindo totalmente dispensável ( 3 filhos criados e encaminhados ). Continuar trabalhando em plena crise me sentiria ocupando um posto de trabalho de alguém em idade produtiva, filantropia vejo grupos com jogos de interesses, vaidades , entidades que começam com boas intenções e se desvirtuam…em tratamento para depressão em luta para achar um um objetivo … vou conseguir! É necessário que haja um trabalho de preparação psicológica para as pessoas em vias de aposentadoria.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais