fbpx

Pedro Bial, 58: "A velhice é uma baita diferença"

Por Maya Santana

Com a jornalista de moda Maria Prata, com quem vai se casar em maio

Com a jornalista de moda Maria Prata, com quem se casou em maio de 2015


Maya Santana
Conheci Pedro Bial em Londres, no final da década de 1980. Eu trabalhava na BBC e ele era correspondente da TV Globo.  Pedro tinha, então, algo em torno de 30 anos, era bem magrinho,  mas o mesmo homem bonito de hoje.  Fora deslocado para a Europa em um momento especialmente delicado da História e terminou por testemunhar os maiores acontecimentos políticos daquele tumultuado final do século XX, entre eles,  a queda do muro de Berlim, em novembro de 1989 e, em seguida, o desaparecimento da então União Soviética.
Num parque, logo depois de ter chegado a Londres

Num parque londrino – Foto: Tinda Costa


No meio daquela agitação toda e de muito trabalho, vez por outra, eu me encontrava com ele na casa onde morava com a mulher, Renée Castelo Branco, e os filhos Ana, Marina e João, no movimentado bairro de Camden Town.  As lembranças que guardo daquele tempo são as melhores :  Pedro fazendo churrasco,  brincalhão, sempre atento e gentil com Renée e os filhos que, quando o trabalho lhe dava tempo, carregava de um lado para outro em um enorme carro da marca Volvo.
De tudo, o que mais me encantava em Pedro era a capacidade que ele tinha, mesmo quando não contribuía em nada para isso, de fazer com que as mulheres, de todas as idades, nacionalidades e crenças, se apaixonassem por ele. Há poucas semanas, quando me encontrei com ele numa festa, perguntei se poderia mandar algumas perguntas, “todas de caráter existencial”, expliquei.  “Claro, vou me divertir muito respondendo”, disse ele.  O que eu tinha em mente ao elaborar as perguntas é saber como um homem tão bonito, casado várias vezes, sempre tão cortejado como este, está envelhecendo. Sozinho. Ele completou 57 anos no dia 29 de março.


– Você é daqueles que pensam muito no próprio envelhecimento?

Não que eu pense muito sobre a minha idade em particular, mas como nosso ofício nos leva a desenvolver o hábito da observação, e possível subsequente análise, muita coisa do que vejo, escuto, consumo, aprecio e desprezo no meu cotidiano me remete ao tempo. Aos novos tempos, que sempre nos levam aos nossos particulares tempos passados. A música que se escuta no rádio abre um “pop up” para outra música, a notícia no jornal, a moda, a palavra, o vocabulário da hora – as novidades em geral ativam a memória.
Vivemos tempos tão espantosos, presenciamos uma revolução tão profunda, a revolução da informática, tudo é tão irreconhecível, que é difícil não perceber que você se tornou uma figura “de época”. O que só torna tudo mais divertido.
Tentando ser claro: como tudo anda tão diferente, não há como não perceber que nós mesmos estamos diferentes. A velhice é uma baita diferença.
Daí penso, e principalmente tento fazer ginástica. Fui atleta quando jovem, e trago sequelas de meu arrojo adolescente e da medicina esportiva da época. Tornozelos, joelhos, quadris, coluna, ombros, artroses, um compêndio de afecções ortopédicas. O “hardware”doloroso é o maior impulso rumo à esteira e aos pesos. É um saco fazer, mas para ter mínimos bem estar e qualidade de vida, puxo os ferros toda manhã.
Com a filha, a talentosa artista plástica Ana Bial

Com a filha, a talentosa artista plástica Ana Bial


Tem alguém que você admira pela postura diante do envelhecimento? Você gostaria de envelhecer como quem?
É tão pessoal isso, né? Sim, admiro, por exemplo, o velho em que David Bowie se tornou. Mas sempre o admirei também por sua postura diante da juventude… E Bowie não vale, ele não é daqui! Minha mãe tem garra, vai fazer 90.
Constanza Pascolato deu uma entrevista linda, creio que semana passada, acho que ao Estadão, em que me identifiquei com um certo fatalismo diante do inevitável. Parece que, depois de uma certa idade, vai-se negociando com o tempo, e o tempo é um negociador inflexível. Então, vamos fazendo as coisas que gostamos de fazer, até não podermos mais fazê-las. E nossa rotina torna-se uma administração procastinatória constante, dosando tudo o tempo todo, aqui e ali, de um raio de sol a uma dose de tequila.
Daqui a três anos, você chegará aos 60. Será oficialmente, portanto, um idoso. Sendo um homem tão bonito como é, como você sente a chegada da idade?
Segundo os meus cálculos e a OMS, como vivo na metrópole do Rio de Janeiro, pertenço a um estrato que só chegará tecnicamente à velhice aos 65 anos. (eu deveria botar “rsrsrsrs” depois dessa frase, mas somos de época…)
Obrigado pelo elogio! Do alto de minha modéstia, acho que estou mais bonito agora.
Com os dois filhos mais novos, José Pedro e Theo

Com os dois filhos mais novos, José Pedro e Theo


Procuro me alimentar com consciência. Consciente que estou fazendo merda… O maior problema é que, com os anos, a gente aprecia muito mais e melhor o sabor de tudo, e qualquer nada engorda.
– Com o os horários difíceis em que trabalha, você consegue se alimentar corretamente?
Nem sempre, nem sempre… Você tá parecendo meu médico, eu hein…
– O que você faz para se manter em forma? É esbelto, controla o que come?
Tenho minha lamentável barriga, pelejo contra ela. Como disse, malho à vera, todos os dias. Negocio minhas refeições da seguinte forma: já que é hora de comer, tento comer bem. Não necessariamente muito, ao contrário. O prazer pode ser bom conselheiro.
– Seus amigos acham você um excelente cozinheiro. Na cozinha, o que mais dá prazer?
Concentrar-se no que minhas mãos estão fazendo, os cheiros, gostos, texturas e temperaturas. A taça de vinho e, cereja do bolo, a companhia para quem você está cozinhando.
Nos tempos de correspondente da TV Globo na Europa

Nos tempos de correspondente da TV Globo na Europa


– Você foi jogador de basquete, repórter, repórter especial, correspondente no exterior, apresentador de programa de literatura, do Fantástico, do Big Brother, do Na Moral, diretor de cinema, escritor … O que você gostaria de fazer que ainda não fez?
O que está para ser feito, em variações a partir dessas atividades, sempre algo gestado em texto.
– Você namorou muito (…e ainda namora…), foi casado várias vezes. O que você aprendeu com as mulheres?
Além de ter medo delas, acima de tudo a versatilidade, a simultaneidade. Mas homem não consegue, persegue.
– Recentemente, você disse numa entrevista que não se casaria de novo. Por quê?
Já deixei para alguns o legado de minha miséria, passei os genes adiante. Nunca fui um bom marido, mesmo quando me dediquei a isso. Tá bom assim. Talvez, um dia…
– Do que você sente saudades? E do que não sente saudades?
Da visão incrível que tinha, do vigor, da saúde de ferro. Tenho saudades de tudo, mas não sofro de saudade.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

quatro × três =

27 Comentários

Avatar
Malu 29 de outubro de 2014 - 23:51

Admiro muito, pena ter seu talento desperdiçado nessa porcaria que é o BBB. Não assisto! Não perco meu tempo com lixo. Na Moral, fantástico!

Responder
Avatar
nuzia 28 de outubro de 2014 - 16:35

Inteligente! Um grande jornalista! Admiro muito!

Responder
Avatar
Carol 5 de abril de 2014 - 01:42

Olá Maya, parabéns pela entrevista e claro parabéns ao entrevistado pelo aniversário!
Tenho grande admiração pelo trabalho deste jornalista. Desejo sucesso aos dois, beijos
ascarus.com

Responder
Avatar
Gislene Fernandes 3 de abril de 2014 - 11:08

Você Bial é um cara excepcional, suas crônicas batem na alma! Você hoje está um gato, acredite!!! Bjss

Responder
Avatar
Marcio 2 de abril de 2014 - 05:50

Gente finissima! Trabalhei no big brother e posso dizer que é uma pessoa muito educada , cumprimenta todos por onde passa, excelente profissional.Entrevista boa , mais muito curta.

Responder
Avatar
cleide idalina 2 de abril de 2014 - 05:04

A embalagem é linda ,e o conteúdo ainda mais,considero como o melhor Jornalista e comunicador .na Moral é um espetáculo não perco por nada, Esses olhos me fazem um bemmmm.
Bjsssssss.

Responder
Avatar
cleide idalina 2 de abril de 2014 - 05:04

A embalagem é linda ,e o conteúdo ainda mais,considero como o melhor Jornalista e comunicador .na Moral é um espetáculo não perco por nada, Esses olhos me faz um bemmmm.
Bjsssssss

Responder
Avatar
Marcio Donizeti 2 de abril de 2014 - 03:29

Ola Pedro, e com prazer que deixo tambem meu breve comentario em sua bela entrevista,
parabens pelo niver e por fazer com excelencia tudo que faz. Tenho 51 (20/03/63), e como
voce mesmo disse, agora chegou o momento de moderarmos em tudo, para que possamos
continuar bem, assim como estamos. Desejo outros 56 para voce e que continue a nos
prestigiar em nossos lares com a sua presença e infinita sabedoria, Deus te guie.

Responder
Avatar
NOELI 2 de abril de 2014 - 00:13

Pedro Bial, você é o Cara, te admiro muito, sou sua fã, você deveria ter outro Programa na Globo, quem sabe aos Domingos né? para aparecer mais na TV, uma pessoa inteligente como és, não pode aparecer só uma vez no ano.

Responder
Avatar
vera 1 de abril de 2014 - 23:03

Amo td que esse homem fala, e escreve; é desse jeito mesmo que penso.
Parabens Bial.

Responder
Avatar
Luciane 1 de abril de 2014 - 22:21

O passar do tempo só fez bem ao Pedro!

Responder
Avatar
LILI BLAUTH 1 de abril de 2014 - 20:34

Parabéns a entrevista foi fantástica. Você é um jornalista poeta. Abraço.

Responder
Avatar
marta 1 de abril de 2014 - 20:02

o melhor do BBB é ele e com suas cronicas adoro muito , inteligente , sensivél, e de voz agradavél .
Parabéns Pedro, que é o nome do meu caçula.

Responder
Avatar
Guedes 1 de abril de 2014 - 19:42

Excelente repórter!

Responder
Avatar
elizabeth 1 de abril de 2014 - 19:01

Perfeito Bial! disse tudo e é tudo!!!!!

Responder
Avatar
Norma 1 de abril de 2014 - 18:02

Adorei esta entrevista, é uma pessoa que sabe vivenciar cada etapa de sua vida, com sabedoria inteligencia por isso esta envelhecendo lindo assim.

Responder
Avatar
Joao Paulo 1 de abril de 2014 - 16:51

Hey Pedro, a tua forma intelectual e poética de falar das coisas é impressionante. Que habilidade, que percepção hein meu!
Faço 55 este ano e tô curtindo a bessa a vida como um todo. viajando o mundo de forma totalmente independente, curtindo, quer dizer (perseguindo porque não sou um galã como vc, rrrrsss) as mulhres de todas as idades independente como eu, fazendo valer o que a minha própria história me proporciona.
Por aqui quando me perguntam, How old are you? daí eu respondo, I just was born a long time ago but I’m as young as you.
Parabens meu camarada, sorte na tua caminhada!!! Lhe desejo mais 56,60,80 ou mais!
Fica na paz!!!

Responder
Avatar
iracema silvano 1 de abril de 2014 - 16:15

vc é 10 homem!homem com H maiúsculo,terno,competente e vibrante,é oq dá pra perceber,precisa mais?siga em frente,pois,vc tem muitas obras ainda para realizar,abraços e mais realizações à frente.

Responder
Avatar
telma 1 de abril de 2014 - 15:59

GRANDE REPORTER, PENA QUE SO APRESENTA AGORA ESSE TAL DE BIG BROODER, QUE NA VERDADE UM GRANDE BIG BOSTA

Responder
Avatar
Cleonice Crispim 1 de abril de 2014 - 10:58

Admiro demais o JORNALISTA!!!!

Responder
Avatar
LIDURINO 30 de março de 2014 - 15:53

ACHO O BIAL UM GRANDE PENSADOR UMA CARA INTELIGENTE,TEM QUE TIRAR MUITO MAIS DELE,ESTE PESSOAL DO JORNALISMO QUE ESTA MAIS PERTO,TEM QUE PERGUNTAR ELE TEM GRANDES RESPOSTAS,QUE BOM QUE TEM O BIAL,ATRAZ DISTO TEM DEUS COM CERTEZA
UM ABRAÇO A TODOS

Responder
Avatar
Teresa Perez 29 de março de 2014 - 22:55

Parabéns Pedro Bial,,,,,vc é muito especial…abraço

Responder
Avatar
lisa santana 12 de março de 2014 - 13:55

Maya, entrevista gostosa, humana. E mais que tudo, ver um Pedro Bial mais próximo. E esta entrevista, pra mim, confirma o dito de Ana: Ele é a coisa melhor do programa que ele conduz.

Responder
Avatar
Toninho Reis 12 de março de 2014 - 11:08

Valeu a entrevista Maya, bjs…

Responder
Avatar
Ana 12 de março de 2014 - 11:03

Também conheci Pedro em Londres. Era um pedaço de mau caminho, além de muito talentoso.
Quando o vejo apresentando o Big Brother não posso deixar de pensar: é a única coisa boa deste programa. Abraço, Pedro
Bela entrevista, Maya

Responder
Avatar
Cristina 9 de setembro de 2016 - 20:01

BBB perdeu a graça daqui em diante, volta BIAL

Responder
Avatar
Daniel Agrela 12 de março de 2014 - 01:38

Bela entrevista. Me identifiquei com ele no quesito alimentação consciente. Hahahaha. “Consciente que estou fazendo merda”.

Responder