fbpx

'Peixe e livro' são os segredos dos 99 anos dele

Por Maya Santana

João Pereira dos Santos trabalha no Ministério da Justiça, em Brasília

João Pereira dos Santos trabalha no Ministério da Justiça, em Brasília


Desde que chegou à mídia, a interessante história do sergipano João Pereira dos Santos não para de ser divulgada pelos meios de comunicação. Ele vai completar 100 anos mais ou menos na época da Copa do Mundo, em meados do ano que vem. João acorda todos os dias às 5h, faz exercícios e depois bate ponto na portaria do Ministério da Justiça, onde trabalha há quase quatro décadas Aos 99 anos, ele carrega o título de funcionário público mais velho do Brasil. Leia o artigo:
Um exemplo de vida. João Pereira dos Santos, o funcionário público mais velho do Brasil. Seu João tem 99 anos de idade e muita história pra contar. Está lá, no documento, amarelado e puído: nasci no dia 10 de junho de 1914.
João Pereira dos Santos só acha ruim ter 99 anos quando cai um cheque dele. O banco sempre pensa que é golpe. “Tava escrito: tem que comparecer para justificar que você está vivo. Porque uma pessoa com essa idade dificilmente está viva”, conta o funcionário público.
“Pedalo a bicicleta 200 vezes de manhã. Duzentas quando vou dormir”, revela. A quem duvida da saúde, ele mostra os dentes! Tem todos e nenhuma prótese. Nostalgia? Melancolia? Desânimo? Seu pereira curte é uma novidade. A vida afetiva? Pergunte à mulher dele, quase 30 anos mais jovem.
Já está aposentado como funcionário da câmara dos deputados. Mas continua na ativa, como prestador de serviço no executivo. “Eu trabalho lá para não ficar em casa”, explica.
O funcionário público João Pereira dos Santos mora relativamente perto do trabalho. Mas o condutor João Pereira dos Santos faz questão absoluta de ir à repartição dirigindo o próprio carro. Ele já me confessou que tem uma ou outra multa por excesso de velocidade. Mas desafia quem lhe chame de barbeiro. No caminho, apanha jornais. Cumprimenta ambulantes. “Eu gosto da vida. Eu gosto das pessoas”, diz. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais