Pichado por quem deveria estar lendo sua poesia

Por Maya Santana
O poeta pichado por jovens que deveriam estar lendo sua poesias

O poeta pichado por dois jovens na noite de 25 de dezembro

Maya Santana

Por mais que a gente tente, não consegue encontrar uma explicação plausível para o ato do empresário Pablo Lucas Faria, da cidade de Uberaba, no Triângulo Mineiro, contra uma pérola do patrimônio público. Morador de Bonsucesso, na zona oeste do Rio, Pablo escolheu a noite de 25 de dezembro para, juntamente com uma garota, descer até o calçadão de Copacabana, e pichar com spray a estátua do também mineiro Carlos Drummond de Andrade, uma das mais queridas atrações turísticas da orla carioca.

Veja os dois, flagrados por uma câmera de segurança:

A estátua foi pintada com uma tinta branca. O rosto sofreu mais com a tinta, mas também foram pichados o peito e as pernas da obra, – de autoria do artista plástico Leo Santana, instalada no local em outubro de 2002, em comemoração aos 100 anos do nascimento do poeta. A pichação provocou indignação geral. Que dupla de trogloditas é essa? O que pretendiam deturpando o rosto de Drummond?

Quando se apresentou nesta segunda numa delegacia do Rio, Pablo se defendeu, dizendo que não é um pichador e que se arrepende do que fez. Mas é só assistir ao vídeo para ver que os dois se dirigiram para o local da estátua com tudo planejado.

Pena que, ao invés de estarem lendo os poemas de Drummond, estes jovens usem o escuro da noite para atacar o poeta. Será que mensagem queriam transmitir, além de atestar a suprema ignorância de ambos?


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais