fbpx

“Pinto os meus cabelos porque sou vaidosa”

Por Maya Santana

A moderna Linda Fargo

Linda Fargo, 51, diretora da Bergdorf Goodman, citada neste texto

Ana Maria Cavalcanti

Não consigo entender a polêmica sobre pintar ou não pintar os cabelos brancos. O que mais me deixa perplexa é quando uma questão que tem meramente a ver com a vaidade, se torna um assunto político: por que temos q parecer sempre mais jovens? Por que não assumimos nossa verdadeira idade com orgulho? Por q as mulheres precisam se sacrificar tanto em nome de uma sociedade que cultua os jovens?

Pessoalmente, creio que ser vaidosa não é um defeito e sim uma qualidade. Sou filha de pai vaidoso que sempre se arrumou bem da cabeça aos pés. Camisa sempre muito bem passada, calça com vinco, sapatos engraxados, cabelos cortados e bigodes aparados. Minha mãe era a mesma coisa. Gostava de pintar o cabelo e usava sempre sapato alto.

Desde os 13 anos de idade, pinto os cabelos. Sempre quis ser loira, achava o máximo. Com essa idade pintei os cabelos de platinado, eu uma morena de toda vida. Quando cheguei no colégio foi aquele susto, as freiras mal podiam crer no que viam.

Ana Maria Cavalcanti, década de 80, a loura, fazendo uma entrevista para TV

Ana Maria Cavalcanti, década de 80, a loura, fazendo uma entrevista para TV

Meus cabelos são bem lisos, mas não me conformava, e devo ter feito dezenas e dezenas de permanentes. Então qdo uma negra não alisa o cabelo em nome do orgulho da raça, acho estranho. Eu sempre ondulei os meus, sem achar que estou renegando o meu sangue.

Nos anos 70, morando em Londres, “virei” punk. Tinha os cabelos espetados na frente e coloridos de cor de romã. Qdo vim ao Brasil, de férias, todos na rua me olhavam espantados. Os homens diziam gracinhas. Um dia, meu pai disse:”não saio mais com você”.

Hoje, finalmente, deixei meus cabelos lisos e gosto, mas continuo tingindo, seguindo as tendências usadas no momento.

A atriz Meryl Streep, citada pela autora do texto, em"O Diabo Veste Prada"

A atriz Meryl Streep em “O Diabo Veste Prada”

Há anos sou uma falsa loira e gosto, eu mesma tinjo. Tenho cabelos brancos, mas poucos. Nem me passa pela cabeça deixa-los brancos. Sou vaidosa, gosto de ser. Tinjo porque me sinto bem, mais bonita, mais eu. Não vou fazer política sobre o assunto. É só vaidade.

Pra terminar, gostaria de mandar um recado pra quem resolveu “assumir” seus cabelos brancos. Lembre-se do seguinte: cabelos brancos? tudo bem. Mas precisam ser cuidados e ter um bom corte. Então deixo duas sugestões interessantes. O cabelo usado por Linda Fargo, 51,- uma das diretoras da Bergdorf Goodman, uma loja de departametos de artigos de luxo, nos Estados Unidos. Recomendo também o estilo de cabelo usado por Meryl Streep, 65, no filme O Diabo veste Prada. Os dois são bonitos e práticos.

Cuidem-se meninas.

Ana Maria Cavalcanti, 68, é jornalista e colaboradora do 50emais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

quinze − 13 =