fbpx

Porque alongar-se é vital depois de certa idade

Por Maya Santana

O alongamento ajuda a evitar dores no pescoço, nas costas e têm muitos outros benefícios

O alongamento ajuda a evitar dores no pescoço, nas costas e têm muitos outros benefícios

Estica pra lá, dobra pra cá. Com uma sequência de exercícios muito simples, dá para movimentar diariamente o corpo todo, evitando, ou pelo menos retardando, a perda natural e progressiva da flexibilidade, especialmente após os 50 anos. É disso que trata esse ótimo artigo publicado pela revista Viva Saúde, do Uol.  É muito bom que as pessoas estejam descobrindo a importância do alongamento. Quem faz sabe todos os seus benefícios. Não passo um dia sem me alongar.

Leia o artigo:

Já reparou como os bebês têm uma incrível capacidade de mover o corpo todo, sem esforço algum, a ponto de colocar o pezinho na boca e ainda sorrir deliciosamente de sua travessura? Saiba que o segredo dos pequeninos pode estar no bom hábito de esticar o corpo todo, de um jeito preguiçoso, lento e delicado, todos os dias, ao acordar de um sono pesado ou mesmo de uma soneca rápida. Todos nós fazemos isso na infância, mas, na correria da vida adulta, infelizmente, nos desfazemos deste e de outros comportamentos que nos permitiriam sentir muito menos os efeitos do tempo.

“Acostumamo-nos a pular da cama correndo, sempre atrasados para os primeiros compromissos do dia. Porém, é fundamental alongar o corpo, com um espreguiçamento completo, pela manhã, antes de dormir, antes e depois de qualquer atividade física e sempre que ficarmos mais de 30 minutos na mesma posição. Esse cuidado básico ajuda a prevenir dores no pescoço, nas costas, além de muitos outros desconfortos”, garante o educador físico Estélio Dantas, pós-doutorado em Psicofisiologia e em Fisiologia, presidente da Rede Euro- Americana de Motricidade Humana e professor da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UERJ).

No entanto, para quem já castigou o corpo com anos de vida sedentária, má postura e outros quetais, uma sequência estruturada de exercícios de alongamento, que possa ser praticada diariamente, pode ser a melhor saída para readquirir a amplitude de movimentos. E, com ela, muito mais qualidade de vida. “A redução da capacidade de se movimentar, que vem da perda de flexibilidade, resulta em uma contração dos tendões, dos músculos e dos outros tecidos circundantes. Isso justifica em parte as quedas e suas graves consequências na fase senil.

Além disso, como o uso faz a função, quanto menos solicitamos das nossas articulações, menos elas respondem. O resultado é o aumento da dificuldade para andar, subir escadas, levantar-se de uma cadeira ou de uma cama, ou seja, de realizar as atividades que fazem parte da vida diária”, alerta o educador físico Rodrigo Vale, doutor em ciências da saúde e mestre em ciências da motricidade humana. Clique aqui para ler mais.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

cinco × 1 =

1 Comentários

Avatar
lisa santana 3 de julho de 2014 - 15:04

Eu concordo, Maya. Alongar-se e trabalhar as articulações deveriam ser tão usual no nosso dia- a-dia como beber água. Única saída para fugir ao emperramento do corpo, que se a gente deixar é muito preguiçoso.

Responder