Praticar Yoga sem roupa traz mais benefícios?

Por Maya Santana
Será que sem roupa os exercícios são mais efeicazes?

Será que sem roupa os exercícios são mais eficazes?

Uns acham que é puro modismo e não parecem dispostos a aderir. Outros garantem que praticar yoga completamente nu só traz benefícios. É o caso do professor Jhonathan Nicoletti. “Na maioria das posições de yoga, a ausência de roupas pode ajudar o praticante a conhecer os encaixes do próprio corpo”, afirma ele, explicando que “o grande desafio do latino, e do Ocidente em geral, é aprender a se tocar e a tocar o outro sem conotação sexual.” A prática de yoga sem roupa começou nos Estados Unidos.

Leia o artigo de Valéria Mendes para o Estado de Minas:

Famoso por fazer ensaios da nudez feminina, o fotógrafo norueguês Petter Hegre registrou imagens da esposa sem roupa durante uma prática de yoga. O ensaio foi publicado no início deste ano e evidencia os músculos definidos da bela Luba Shumeyko (clique e veja galeria de imagens). No mês passado, notícia do tabloide Daily Mail sobre aulas de naked yoga (ou yoga sem roupa, em tradução livre) em Nova Iorque repercutiu em diversos sites brasileiros. ‘Quais seriam os benefícios?’ é a pergunta que fica no ar. Os mais desconfiados apostam em mero modismo.

Iuba praticando yoga na foto feito pelo marido o fotógrafo norueguês Petter Hegre

Luba fotografada pelo marido, o norueguês Petter Hegre

O estúdio ‘Bold & Naked’, em Nova Iorque, seria o precursor dessa nova onda nos Estados Unidos. Liderado pelo casal Joschi Schwarz e Monika Wener, a aula individual de naked yoga, com duração de 75 minutos, custa $ 165 (cerca de R$ 366), como informado pelo site. O preço das aulas coletivas não está disponível, mas a dupla oferece horários diversos tantos nos dias de semana quanto aos sábados. Em uma pesquisa simples na internet é fácil encontrar outras escolas no país que oferecem a modalidade. O canal ‘Naked Yoga School’, no Vimeo, vende aulas para aqueles que querem adotar a modalidade em casa. Até as mulheres grávidas estão incluídas no projeto: uma instrutora – também gestante – oferece aulas específicas que prometem ajudar, inclusive, na amamentação.

Instrutor formado pelo The International Sivanada Yoga Vedanta Centres, estudioso do yoga há mais de 12 anos e produtor cultural, Jhonathan Nicoletti lembra que o yoga é uma linguagem codificada há mais de 5 mil anos. “Tudo o que se discute hoje e todas essas linhagens de yoga que existem atualmente foram nesta fonte, pegaram algumas partes e formataram em um método que, em alguns casos, passou a ser vendido como franquia”, explica. O interesse do Ocidente nessa prática milenar se pauta, fundamentalmente, em dois aspectos principais: de um lado, os benefícios estéticos inegáveis para o corpo; de outro, o interesse cada vez mais crescente pela meditação que tem sido validada pela ciência. Pesquisadores têm se debruçado sobre o tema na O grande desafio do latino, e do Ocidente em geral, é aprender a se tocar e a tocar o outro sem conotação sexualtentativa de comprovar os resultados sentidos e relatados pelos praticantes.

Outra foto de Petter Hegre,  do ensaio com Luba

Outra foto de Petter Hegre, do ensaio com Luba

Para Jhonathan Nicoletti, é coerente com a essência do yoga a prática sem roupa. “Na Índia, a prática de yoga é extremamente natural, faz parte não só da cultura, mas da vida. As pessoas “Na maioria das posições de yoga, a ausência de roupas pode ajudar o praticante a conhecer os encaixes do próprio corpo. cortam batata para fazer almoço sentadas na posição de yoga”, exemplifica. Dentro desse contexto, o instrutor diz que não existe pudor ou qualquer associação com aspectos sexuais. Eu não vejo nenhum tabu, nenhuma questão.. No yoga, o corpo é visto como uma forma de transcendência, independentemente de ser de homem ou de mulher. Aspectos muito maiores que o da carne e do sexo estão envolvidos. O pudor desaparece”, afirma.

Jhonathan não acha impossível que o naked yoga chegue ao Brasil, mas o instrutor vê com receio – além da mercantilização do yoga, que para ele, é da ordem do conhecimento público -, é a forma como a modalidade seria veiculada por aqui. “Vivemos num país extremamente machista, muito ligado às questões sexuais. Se as pessoas entenderem que o yoga é uma forma de se desconectar dessas questões, de cuidar do próprio corpo e da saúde, a prática poderia ser encarada com mais naturalidade”, observa. Clique aqui para ler mais .


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

ana maria 28 de abril de 2014 - 15:48

Creio q seja mesmo muito melhor fazer yoga sem roupa ou qq outro exercício. Só q a gente fica em posições estranhas, então …eu não me sentiria à vontade com um grupo de homens e mulheres.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais