fbpx

Rio em primeiro lugar na lista do New York Times

Por Maya Santana

Embalado pela proximidade da Copa do Mundo e das  Olimpíadas de 2016, o Rio de Janeiro está vivendo um período áureo em termos de turismo.  Apesar de todas as suas mazelas, recebe cada vez mais turistas. E o poderoso jornal americano The New York Times ajuda a impulsionar ainda mais essa onda turística ao situar a cidade  como a primeira na sua lista de lugares para se visitar em 2013.

Neste verão, o Rio está completamente tomado pelos turistas,  vindos de todas as partes do Brasil e dos mais diversos países. Para o carnaval, que começa no sábado, 9 de fevereiro, a taxa de ocupação dos hotéis cariocas será de 98%. Ao final do verão,  de dezembro a março, a prefeitura estima que terão desembarcado na cidade mais de 3 milhões de turistas.

Lá fora, o Rio é vendido assim:

O jornal New York Times refere-se ao Rio como “famoso por seu carnaval hedonista” e uma cidade  “em vias de se tornar um centro cultural mais sofisticado”. Um ano antes da Copa do Mundo e a três anos das Olimpíadas, a cidade irá inaugurar novos espaços culturais nos próximos meses, como a Casa Daros, instituição com sede em Zurique dedicada à arte contemporânea latino-americana, e o Museu de Arte do Rio (MAR), que faz parte do projeto de revitalização da zona portuária carioca, Porto Maravilha. Na mesma região, será inaugurado em 2014 o Museu do Amanhã.

Com 46 países, a lista do “New York Times” colocou em segundo lugar a cidade francesa de Marselha, Capital Europeia da Cultura de 2013, e, em terceiro lugar, a Nicarágua, país da América Central que vem inaugurando cada vez mais ecoresorts e restaurantes sofisticados. Também fazem parte da seleção lugares como o Butão, Cingapura, a cidade americana de Houston e Vernazza, na Itália. A lista completa pode ser vista no site do jornal.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

2 × quatro =

2 Comentários

Avatar
ARNALDO BRANT 17 de janeiro de 2013 - 18:53

Cada vez me convenço mais que este país é, mesmo, um deserto de homens e idéias.
Promover o Rio de Janeiro e o Brasil apenas pela ótica sexual, seja relativamnte à prostituição ou ao “paraíso gay”, como se refere a Ana Maria, demonstra a pobreza de espírito dos responsáveis. Depois reclamam que a bola da copa seja apelidade de CAFUZA(carnaval, futebol e samba).
Tá certo, o negócio é vender a cidade…

Responder
Avatar
ana maria 17 de janeiro de 2013 - 16:52

Vcs repararam que o vídeo promocional do Rio de Janeiro é dirigido a homossexuais? O Rio é mostrado como um verdadeiro paraiso. O negócio agora é vender a cidade. E o mercado gay de serviços é um dos mais rentáveis nichos de mercado.
Boa promoção.

Responder