fbpx

‘Somos a maior população de vaidosos e ignorantes do mundo’

Por Maya Santana

Dr. Roberto Zatz: aqui no Brasil,  a cirurgia plástica virou um negócio na mão de empresários gananciosos

Dr. Roberto Zatz:”A cirurgia plástica virou um negócio na mão de empresários gananciosos”

Ana Maria Cavalcanti –

O Brasil é o país onde mais se faz cirurgia plástica no mundo. Foram 1,49 milhões de plásticas só em 2013, contra 1,45 milhões nos Estados Unidos. Estes dados estão no relatório da ISAPS, a Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética. Como entender este verdadeiro fenômeno, já que o Brasil é um país tão cheio de carências? Quem responde é Dr Roberto Zatz, 62 anos, renomado cirurgião plástico de São Paulo. Aproveitamos para conversar também sobre os novos desenvolvimentos tecnológicos da cirurgia plástica e a entrada dos homens nesta área, tão fortemente dominada pelas mulheres. Aliás, Dr. Roberto diz na entrevista que “ O homem quer fazer (plástica), mas não assume, não quer que ninguém saiba. Sofre mais, faz muita fita.”

1.Como se explica este número astronômico de plásticas feitas aqui no Brasil? Somos a maior população de vaidosos do mundo?
R: Vaidosos e ignorantes. Aqui no Brasil, as pessoas de baixa renda também fazem plástica. Há pessoas que preferem uma cirurgia a comer. Além disso, a mídia popularizou a possibilidade das pessoas conquistarem um corpo perfeito.

O nariz é o top da cirurgia  plástica porque é um órgão central na face

O nariz é o top da cirurgia plástica porque é um órgão central na face

2. E como a classe C consegue pagar, se a operação é tão cara?
R: É que aqui no Brasil, a cirurgia plástica virou um negócio na mão de empresários gananciosos. Cobram menos e em longos parcelamentos. Para poder baratear a operação abrem uma clínica, terceirizam os funcionários, até mesmo o cirurgião plástico. Este cirurgião ganha cerca de 500 reais por operação. Então em uma manhã faz cinco operações. Muitas vezes ele nem conhece o paciente. O médico pode ser até um profissional bom, mas tem que lidar com essa quantidade de cirurgias. Com pagamentos em até 24 vezes, a plástica se torna muito atraente .

3..Dentro deste quadro tão brasileiro, como podemos confiar em um cirurgião plástico?
R: É importante avaliar a conduta do médico. Dando um exemplo simples: Uma paciente quer aumentar os seios. Ela pede 300mg de silicone. Eu recomendo 200 – dadas suas características físicas de peso e altura. Se ela não aceita minha recomendação, eu não faço. Trabalhar com imagem é perigoso porque a estética é uma coisa mais psicológica do que física. É a maneira como o paciente é, e como ele quer ser. É muito importante também que o cirurgião acompanhe o pós-operatório. Teria que ser assim: consulta, planejamento, operação e pós-operação.

4. Temos uma grande população de velhos no Brasil. Isso se reflete em seu consultório?
R: Sim, tenho pacientes com mais de sessenta anos de idade que estão na segunda ou terceira plástica.

Atriz Regina Duarte é uma adepta da cirurgia plástica

Atriz Regina Duarte, 68 anos, é uma adepta da cirurgia plástica

5. O senhor faz plásticas há 35 anos. Mudou muita coisa neste período?
R: Os materiais mudaram, a sutura, curativos, cintas, os procedimentos pós–operatórios. Antes, quando se fazia uma operação de abdômen, o paciente ficava cinco dias internado, hoje fica um. Na anestesia, muita coisa avançou também, eram muito tóxicas, inaladas. Hoje usamos drogas injetáveis, o propofol e o dormonid.

6. Em se falando de plástica no rosto, qual a operação mais complicada?
R: O nariz é o top da cirurgia plástica porque é um órgão central na face. Temos uma dificuldade técnica porque é um órgão tridimensional e de difícil acesso. O cirurgião precisa ter uma visão anatômica funcional do nariz para poder corrigi-lo e harmonizá-lo com as linhas do rosto.

7. Hoje, fala-se muito naqueles procedimentos rejuvenescedores que não precisam cortar os pacientes. O senhor recomenda?
Sim, o botox, por exemplo, é muito eficiente para diminuir as rugas de expressão, na testa e ao redor dos olhos. Aplica-se com injeção. Há também os preenchimentos com diferentes substâncias. Por exemplo, podemos tirar a gordura de uma parte do corpo do paciente e injetá-la no rosto para suavizar rugas e marcas de expressão.

Cássia Kiss: radicalmente contra qualquer tipo de cirurgia plástica

Cássia Kiss, 57 anos: radicalmente contra qualquer tipo de cirurgia plástica

8. Apesar dos avanços, muitas mulheres se recusam a fazer cirurgia plástica. Algumas dizem que querem envelhecer graciosamente. Como o senhor vê isso? R: A plástica oferece uma possibilidade de bem estar, ou seja, de você conviver com uma imagem de si melhor, frente ao envelhecimento. A aceitação é uma questão cultural e absolutamente pessoal.

9. Com tantas novidades, o homem está fazendo mais plásticas hoje em dia?
R: É verdade que os homens estão fazendo mais plástica, mas nem tanto assim. É um aumento lento e gradual. O homem quer fazer, mas não assume, não quer que ninguém saiba. Sofre mais, faz muita fita. Para ele, fazer plástica é uma fraqueza. É uma questão de machismo.

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

2 × quatro =

6 Comentários

Avatar
Meire 21 de setembro de 2016 - 09:56

Parabéns pela entrevista com o Dr. Roberto Zatz e para o 50 e Mais. Para mim plastica so se for muito necessário. Até eu teria que fazer nas palpebras por recomendação medica, mas , sem coragem e financeiramente impossível.
A velhice não me assusta, o que me importa é saude e meu bem estar. Gosto de mim do jeito que estou . Sou vovó assumida e feliz!

Responder
Avatar
Rejane 21 de setembro de 2016 - 09:29

Parabéns! não tinha lido nada, tão interessante e explicativo….

Responder
Avatar
Maria josy de freitas 14 de novembro de 2019 - 07:49

Sou apaixonada, pelo doutor Roberto zatz, fiz pálpebra com ele, e mais de 50 mulheres indiquei e todos gostaram, eu sou cabeleireira, por isso a facilidade de indicar pessoas, ele como médico e ser humano, especial,eu indico de olhos fechados, ou melhor abertos rsrsrsr por ele

Responder
Avatar
Doraci Julia 21 de setembro de 2015 - 14:01

Conheço Dr. Roberto Zatz há anos !!! Grande profissional e amigo ! Muito boa a entrevista !

Responder
Avatar
Karlane 8 de novembro de 2017 - 09:02

Queria p contato dele, alguém pode me passar por favor

Responder
Avatar
maria de jesus teixeira 20 de setembro de 2015 - 19:48

Pra que plastica meu Deus se lá na frente vai
Cair tudo e ai como fica a alto estima.

Responder