Tarot da semana: Uma saudação à mulher

Por Maya Santana
A mulher não pode ser celebrada apenas em um único dia apenas

A mulher não pode ser celebrada em um único dia

Alexandre Moreira, Tarólogo

Sim, eu sei: foi ontem que se celebrou o Dia Internacional da Mulher. Mas ainda que atrasado (Em relação ao que? Ou as mulheres só devem ser celebradas num único dia?), é interessante pensarmos em como o tarot sempre prestigiou o Feminino.

A SACERDOTISA (Arcano II), a IMPERATRIZ (Arcano III) e a FORÇA (Arcano XI) são exemplos claros da importância desse arquétipo para a humanidade. A Mãe Espiritual, aquela que tem um conhecimento que nos surpreende, que nos compreende, trata das nossas feridas da alma, nos aconselha e nos dá o sentido de pertencimento, a encontramos representada na figura da SACERDOTISA, a que cultua o lar, a que mantém aceso o fogo sagrado que aquece a família.

A IMPERATRIZ tem uma imagem sempre muito exuberante, pois a generosidade da Mãe Física, da mãe que nos cuida em seu ventre, nos entrega à vida e nos nutre é a característica mais marcante dessa mulher. E a FORÇA, equilibrando-se entre o físico e o espiritual, no controle que o espírito, o bom senso, a civilidade devem exercer sobre os instintos, sobre os impulsos irracionais, um exemplo da capacidade feminina em harmonizar opostos complementares.

Abelhas-rainhas, eficientes e criativas organizadoras dos seus domínios, símbolos atemporais de força,  amor e fonte de vida, personificações do Feminino Sagrado, nós as saudamos agradecidos, reverenciando a Menina, a Mulher e a Sábia que convivem em harmonia em cada uma de vocês.

 


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





3 Comentários

Alexandre Moreira 13 de março de 2014 - 10:59

Pois é, Miriam, também estou no encalço de quem produziu a arte que usei para ilustrar minha colaboração para com o blog 50emais.
Tenho ela guardada há algum tempo em meu arquivo e, desde a primeira vez que a vi, fiquei encantado com sua força e sutileza (quanta harmonia quando partes complementares vivem em equilíbrio!) além, é claro, dela funcionar como um verdadeiro símbolo.
O arquétipo feminino representando pela organização e operacionalidade das abelhas em sua colmeia, bem como extrair seu alimento e construir seu habitar a partir do mais íntimo (pólen) das flores (outro for símbolo do feminino, da beleza, da força da natureza, da unidade dentro da diversidade, etc), estão tão bem representados na imagem em questão que eu fico curioso e muito interessado em conhecer outras obras desse/a artista.
Que bom que você também a tenha apreciado! Continuarei na minha busca na identificação do/a artista. Abraços!

Responder
Miriam Mirabelo 13 de março de 2014 - 00:58

Olá Alexandre poderia me dizer de quem é esta pintura? maravilhosa!

Responder
lisa santana 10 de março de 2014 - 01:29

Adorei a carta e a leitura da mesma. Obrigada, Alexandre.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais