Tarot da Semana: Viva a vida! Permita-se! Ouse!

Por Maya Santana
Veja a vida com encantamento

Deixe para trás os preconceitos

Alexandre Moreira, Tarólogo

Onde é que está escrito que experimentar, arriscar, “jogar-se” por inteiro numa nova aventura ou empreitada é coisa para gente jovem que, provavelmente, nada tem a perder?

Ledo engano, senhoras e senhores de todas as idades! O LOUCO, o zero, a carta não numerada do tarot, é a representação daquele estado de espirito que nos leva a buscar novas aventuras, abandonarmos a pseudo segurança que a rotina nos oferece e irmos em busca de novas possibilidades, novas emoções, da realização de sonhos novos ou antigos. Não é necessariamente sermos inconsequentes, mas é trocar o certo pelo duvidoso, confiando unicamente na intuição, na sabedoria adquirida ao longo da vida e, naturalmente, na sorte.

O LOUCO é o  arquétipo de quem está se permitindo aprender algo novo, deixando para trás os preconceitos, o falso moralismo, a arrogância do “eu-sei-tudo” e, sobretudo, o medo. Arriscar-se exige, antes de mais nada, coragem e isso é algo que envolve autoconfiança, equilíbrio e fé. É começar de novo, é abrir-se para o mundo, é olhar para tudo com o mesmo encantamento dos bebês quando estão descobrindo o ambiente que os cercam. É deixar-se levar, sem muito questionar, sem querer saber de antemão se vai dar certo ou não. É ousar, liberar-se, entregar-se de corpo e alma à novidade, é provar daquilo que não se conhece ainda. É, enfim, permitir-se.

A liberdade é algo da qual abrimos mão todas as vezes que nos censuramos, que nos reprimimos, que dizemos “não tenho mais idade para isso”; todas as vezes que sentimos medo daquilo que os outros irão pensar de nós, ou daquilo que nós achamos que os outros irão pensar de nós. Viver o “estado de graça” do LOUCO é o oposto disso tudo: é acordar todos os dias para uma nova vida, aumentando o próprio repertório de experiências, ultrapassando os limites e olhando a Vida com absoluto encantamento.

 


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





3 Comentários

Elza Cataldo 11 de julho de 2014 - 11:33

Obrigada, Alexandre, suas cartas poéticas nos estimulam, renovam e confirmam a força da ousadia e da alegria.
Abraços mineiros!

Responder
magda cristina borges 7 de julho de 2014 - 17:29

Adorei ,é a mais prura verdade ousar é sentir´se vivo e digno.

Responder
Maria Berenice Carvalho Castro Souza 6 de julho de 2014 - 14:42

Devemos ser loucos por viver, não importa a idade cronológica.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais