Tarot da Semana: Viva o Divino que há em você!

Por Maya Santana
O diabo é o símbolo do materialismo

O materialismo nos distrai do essencial na vida

Alexandre Moreira, Tarólogo

É interessante como algumas palavras se traduzem e imagens e, estas, em conceitos e preconceitos comuns. A palavra DIABO, que designa o Arcano XV do tarot, é uma delas. Difícil quem, ao ouvi-la ou lê-la, não forma uma imagem mental de um ser desagradável, repulsivo em todos os sentidos.

A Igreja criou essa imagem como uma antítese daquela de Deus, a representação do Bem, de tudo o que é positivo, liberador, espiritual. O DIABO, ao contrário, é o símbolo do materialismo, do nosso apego à matéria, da nossa dependência àquilo que nos aliena e nos dá uma falsa sensação de segurança, exatamente porque nos distrai evitando que tomemos consciência de que tudo é impermanente.

Esse conceito do Mal não deve ser buscado apenas naquilo que mais evidentemente demonstra a nossa fragilidade moral e ética, aquilo que nos fere ou rouba a humanidade: os crimes, as contravenções, as guerras, a as paixões alteradas e distorcidas (inveja, ciúme, medo, mentira, etc). Também nas pequenas e corriqueiras ações e atitudes do dia a dia podemos observar o quanto somos ou estamos à mercê de forças que nos impelem a agir de forma equivocada. Esse auto aprisionamento, essa dependência física e emocional também podem ser encontradas nos vícios de todas as espécies, inclusive naqueles que parecem muito inocentes. Há pessoas que dizem não conseguir dormir e/ou acordar diariamente se não tomarem  um determinado remédio. Há aquelas que não conseguem relaxar se não ingerirem álcool ou acenderem um cigarro. Outras só se recuperam de perdas gastando insensatamente, como se um vestido, um sapato, uma bolsa, um carro fossem o paliativo mais indicado para resolver erros, enganos e desacertos.

Depender é o mesmo que estar aprisionado a outrem ou a uma situação. Significa falta de liberdade, impossibilidade de utilizar o livre arbítrio. Recuperar o próprio controle, ser dono do próprio destino, não temer a si mesmo nem criar fantasias de submissão é viver plenamente, de maneira saudável, positiva, esperançosa, benéfica, completa. É viver o Divino que existe em todos e cada um de nós.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





1 Comentários

terezinha rosa camilo 13 de julho de 2014 - 15:49

hoje eu estou tao pra baixo que não consigo nem me concentrar na leitura…

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais