fbpx

“Tem gente dizendo que eu trabalho para a CIA!”

Por Maya Santana

Carla Dauden, cujo vídeo explicando porque não vem à Copa estourou na internet

Carla Dauden, cujo vídeo explicando porque não vem à Copa estourou na internet

Ruth Aquino

Conversei por skype com Carla Toledo Dauden, a brasileira de 23 anos que já teve mais de 2,2 milhões de hits na internet com seu vídeo em inglês (e legendas em português) que diz “Não, eu não vou à Copa”. Carla vive em Los Angeles há cinco anos, onde fez uma faculdade de Cinema. Só foi ao Rio de Janeiro uma vez, nunca entrou numa favela carioca e há um ano e meio não vem ao Brasil por motivos de estudo e burocracias de visto. É uma jovem muito articulada, também em nosso idioma natal. Além de tudo, soa honesta e nem um pouco deslumbrada com a súbita fama virtual, ao contrário: “Sou cineasta, não sou política nem ativista”. Por estar preocupada com a distorção de suas palavras e com o (mau) uso de sua imagem, Carla decidiu divulgar uma nota, que ÉPOCA antecipa ao fim deste post.

Carla nasceu em São Paulo e a família se mudou para Florianópolis por causa da violência quando ela era adolescente, tinha 12 anos. Seu pai tinha sido brutalmente assaltado. Na hora de fazer faculdade, resolveu mudar-se para os Estados Unidos. “Meus pais ficaram felizes, porque aqui (em Los Angeles) é mais seguro sair à noite e não vai ter motorista bêbado me atropelando, essas coisas tristes que vemos no Brasil”.

Se você ainda não viu, assista ao vídeo que tornou Carla conhecida

Ela me disse que, se por um lado ficou agradavelmente surpresa, por outro as pessoas estão “confundindo um pouco as coisas”. Perguntei quais deveriam ser, na sua opinião, as bandeiras dessa revolta juvenil, mas Carla não entrou nessa, sabiamente. “Como eu não tenho envolvimento direto com as manifestações, acho até irresponsável eu dar a minha opinião. Tento evitar bandeiras. Quando fiz o vídeo, bem antes da onda de protestos, queria só fazer minha parte e lutar para que nossas vozes fossem ouvidas. Era só esse meu papel no jogo. Mostrar que Brasil não é só futebol e que há problemas. Queria fazer pressão para que mudanças ocorram.

Muitos dos manifestantes me parecem perdidos. E agora você não sabe mais quem está a favor de quê. Tem gente usando o meu vídeo para argumentar que o governo tem de cair. Botando palavras na minha boca. Tem gente falando que trabalho para a CIA e os Estados Unidos me pagaram para fazer esse vídeo!!! Não quero promover nenhum boicote à Copa. Estão postando coisas muito extremistas no meu Facebook. O que eu acho mesmo é que o povo tem que subir ao governo e não que o governo precisa cair. A paz tem que ser mantida a todo custo. Espero que todos se conscientizem disso e tenham bom senso. Quem gosta do Brasil não quer uma guerra civil”. Leia mais na epoca.com.br

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário

1 × quatro =