The Economist elege o Uruguai "o país" de 2013

Por Maya Santana

 "Vive em uma casa modesta, dirige um Fusca antigo e voa na classe econômica"

“Presidente vive em casa modesta, dirige um Fusca e voa na classe econômica”


O atual presidente do Uruguai, o ex-guerrilheiro José Mujica, 78 anos, no cargo desde 2009, chamou a atenção do mundo não só pela simplicidade franciscana que adotou como modo de vida, mas pelas reformas que promoveu neste pequeno país vizinho, de menos de 3,5 milhões de habitantes. Não foi à-toa que uma revista considerada conservadora como a Economist, editada na Grã-Bretanha, elegeu o Uruguai “O País” do ano de 2013″. A legalização da produção e comércio da maconha, do aborto, em dezembro de 2012, e do casamento gay, em abril de 2013, são elogiados pela publicação.

Leia o artigo publicado pelo Portal Terra:

A revista britânica The Economist elegeu o Uruguai o país de 2013, em grande parte pela pioneira legalização da maconha. “As conquistas mais dignas de menção são, acreditamos, aquelas reformas inovadoras que não se limitam apenas a melhorar um país, mas que, se imitadas, poderiam beneficiar o mundo”, afirma a revista.
A legalização e regularização da venda e consumo da maconha “é uma mudança tão claramente razoável, que encurrala os criminosos e permite às autoridades concentrar-se em delitos mais graves, que nenhum outro país as executou”, completa o editorial. “Se outros a seguissem, e se fossem incluídas outras substâncias, o dano que estas drogas causam ao mundo seria drasticamente reduzido”, afirma a revista, que há muitos anos defende uma mudança nas políticas de combate às drogas baseadas na repressão, por considerar que fracassaram.
A Economist recorda ainda que o Uruguai também legalizou o casamento gay em 2013, uma reforma “que aumentou a quantia mundial de felicidade humana sem custo financeiro”. A revista elogia o presidente José Mujica e sua “franqueza incomum para um político”, recordando seu estilo de vida austero. “Vive em uma casa modesta, dirige um Fusca antigo e voa na classe econômica”.
“Modesto, mas corajoso, liberal e amante da diversão, o Uruguai é nosso país do ano. Felicitações!”, conclui a revista. Essa é a primeira vez que a Economist realiza a premiação.


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





0 Comentários

Joubert 2 de janeiro de 2014 - 20:49

The Economist, em boa hora, introduz o conceito FIB, felicidade interna bruta, na analise que faz do Uruguai de Mujica. Conceito que nos próximos anos será mais importante que PIB…Ainda bem…BOm pra nos e pro planeta.

Responder

Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais