Tiradentes abre Festival Internacional de Artes

Por Maya Santana
Só uma visita à cidade colonial, cerca de 200 km de BH, já vale a pena

Começa nesta 6ª feira. Só uma visita à cidade colonial já vale a pena

Música, literatura, artes visuais, cinema, dança e teatro de diversas partes do mundo vão movimentar a histórica Tiradentes, em Minas Gerais, entre esta sexta-feira, dia 12 e 21 de setembro. É a terceira edição do Festival Internacional de Artes de Tiradentes: Artes Vertentes, que reúne 45 atrações de 15 países entre artistas eruditos e populares, em uma extensa programação de concertos, saraus literários, exposições, sessões de cinema e espetáculos de teatro e dança.

A proposta é promover o diálogo entre as diversas formas de expressões artísticas, com envolvimento da população local.

A programação traz nomes já consagrados internacionalmente, que se apresentarão pela primeira vez no país, como o cineasta Algimantas Pujpa, da Lituânia; o artista visual Matej Andraz Vogrincic, da Eslovênia e o compositor palestino Samir Odeh-Tamimi, dentre outros.

Artes Vertentes2

Entre os artistas nacionais, está confirmada a presença do poeta Leonardo Fróes, do percussionista Fernando Rocha e da soprano Eliane Coelho. Segundo o diretor artístico do Festival, o pianista Luiz Gustavo Carvalho, a proposta é manter um intercâmbio de alto nível entre o rico patrimônio artístico e cultural de Minas Gerais e o de outros lugares, permitindo encontros, reencontros e descobertas do público por meio da arte.

“Pretendemos, com este conceito inovador, criar um espaço para novas ideias, atuando como uma plataforma de comunicação entre artistas vindos de diferentes culturas, respeitando suas singularidades, antagonismos e, principalmente, o desejo de dialogar”, afirma o diretor artístico.

Veja aqui a programação completa do festival

As atividades acontecerão em lugares de relevância histórica e de importância no patrimônio arquitetônico da cidade, como a Matriz de Santo Antônio, as igrejas do Rosário dos Pretos, o Museu Padre Toledo, o Centro Cultural Yves Alves, o Chafariz São José de Botas, o Largo das Forras e o Largo do Ó. Os espaços têm acessibilidade para deficientes e grande parte da programação tem o acesso gratuito.

Veja aqui o projeto do Festival aprovado pela Lei Federal de Incentivo à Cultura, Lei Rouanet (PRONAC 131357)


CONTEÚDO PUBLICITÁRIO

Notícias Relacionadas

Deixe um comentário





Utilizamos cookies essenciais de acordo com a nossa Política de Privacidade e ao continuar navegando, você concorda com estas condições. Aceitar Leia mais